ZOONOSES CONFIRMA CASOS DE RAIVA E FAZ BLOQUEIO NA ROSEIRA

O Centro de Controle de Zoonoses de Mogi Guaçu iniciou sábado, dia 7, operação bloqueio em propriedades rurais da região da Roseira. Trata-se de um trabalho para reforçar a vacinação em cães e gatos contra a raiva.

Aquela região, que faz divisa com Espírito Santo do Pinhal e Itapira, tem registrado mortes de animais que estão levantando suspeitas do Centro de Controle de Zoonoses.

No início desta semana, foram divulgados resultados de exames que confirmaram a morte de duas vacas por raiva. São os dois únicos casos registrados neste ano.

Amostras dos cérebros destes animais foram enviadas ao Instituto Pasteur, em São Paulo, que ratificou a causa da morte. A raiva é uma doença fatal tanto para animais quanto para humanos e é transmitida por uma espécie de morcego hematófago.

O Centro de Controle de Zoonoses informa que a vacina antirrábica deve ser feita anualmente, tanto para animais domésticos quanto para animais de criação de pequeno ou grande porte. Entretanto, entre os bovinos, não existe o rigor na vacinação por parte dos proprietários, o que torna o trabalho de controle ainda mais difícil.

A orientação é no sentido que, se algum animal vier a óbito, se houver morcegos mortos e se perceber o ataque de morcegos em qualquer tipo de animal, o Centro de Controle de Zoonoses de Mogi Guaçu deve ser avisado imediatamente. O contato deve ser feito pelo número 3831-7421 (horário comercial) e 99734-4034 (à noite e aos finais de semana).

Em Mogi Guaçu, os dois últimos casos positivos de hidrofobia (raiva) em cães e gatos foram registrados em 1992. Anteriormente, segundo dados do Centro de Controle de Zoonoses, ocorreram 128 casos em 1989, 92 em 1990, e 8 em 1991. Em humanos, o último caso foi registrado em 1989.

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar