ZONA AZUL RESTABELECIDA DIVIDE OPINIÕES

Desde o dia 10, quem estacionar em vaga da Zona Azul sem pagar poderá ser multado. O valor da tarifa é de R$ 1,80 a hora, o que corresponde a R$ 0,03 por minuto. O sistema voltou a ralar o bolso dos motoristas após dois meses inoperante e gera controvérsias.

Muitos donos de veículos não acham correto pagar para estacionar, considerando-a uma exploração. Mas outros defendem a medida diante do caos que é encontrar uma vaga para estacionar nas ruas da região central, alegando a democratização do estacionamento rotativo.

Comerciantes ouvidos pela reportagem, contudo não quiseram se identificar, defendem a Zona Azul e avaliam que a reativação do serviço impacta diretamente no volume de vendas. “É uma medida correta. Não apenas porque gera mais vendas, mas impede que vários motoristas se tornem donos de vagas que poderiam ser usadas por mais pessoas”, aludiu um comerciante das imediações do Recanto.

É o que pensa o autônomo Carlos Banziotti, 44 anos, morador do bairro Rosa Cruz. Ele disse que nos últimos tempos “era uma briga encontrar uma vaga para estacionar em determinados horários”, conta. “Por isso, eu considero a zona azul um mal necessário”, alegou.

A funcionária pública Erika Dellieri se mostrou indignada com o retorno do serviço que considera uma exploração aos cidadãos. “A gente já paga tanto imposto”, disse. “Parecem que ficam pensando nas diversas formas de tirar dinheiro do povo”, exclamou.

Segundo o secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli Neto, o serviço ficou inoperante por mais de dois meses devido a problema no sistema da operadora TecPark.

A empresa teve de restaurar antiga versão do sistema que foi desenvolvido e implantado por um profissional que já não está mais no Brasil. Além disso, não havia alternativas compatíveis no mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *