VERGONHA: ABANDONADA, VILA SÃO CARLOS VIRA ALVO DO FOGO CRIMINOSO

Um dos bairros mais abandonados pelo poder público, a Vila São Carlos, virou alvo fácil de incendiários, uma gente sem eira e nem beira que não refuta em atear fogo criminoso em galhadas, colchões, pneus e estofados usados e não recolhidos há vários e vários meses pela prefeitura.

Casas e comércios, vidas humanas e de animais agora correm risco diário com os inúmeros incêndios que acontecem quase que diariamente. O bairro e sua população estão abandonados e pagam pelo descaso.

O serviço de coleta virou um relaxo, cópia perfeita da maldade com que as autoridades fazem com os impostos pagos pelo povo. Autoridades estas que ajudaram a transformar Mogi Guaçu em Cidade Tatu, piada na região, conhecida por ser a cidade mais suja da Baixa Mogiana.

Uma vergonha para o curriculum de quem comanda o município.

RELATO

Labaredas levaram medo e pavor aos moradores, que chamaram os bombeiros

Na noite deste último domingo, 1 de junho, bombeiros foram acionados por moradores para que apagassem incêndio que assustou bastante gente.

As chamas colocaram em risco casas localizadas na rua Serra Negra e Araras. As labaredas atingiram cerca de 3 metros.

Enquanto os “homens do fogo” estavam a caminho, sobrou dezenas de críticas para quem está no comando do município. Na linha de frente das críticas estava o prefeito Walter Caveanha, chamuscado pela língua do povo.

“Isso é culpa é dele, que deixa a cidade suja e porca como está”, diziam alguns moradores estarrecidos com a situação.

“Este lixo aqui está há pelo menos cinco meses”, afirmou outro popular.

“Na minha rua tem um de mais de um ano”, respondeu o interlocutor

“Quando a prefeitura vai tomar vergonha na cara”, definiu, por fim, uma moradora da rua Araras.


OPINIÃO DO JG

A pergunta da moradora é válida:

QUANDO A PREFEITURA VAI TOMAR VERGONHA NA CARA E LIMPAR A VILA SÃO CARLOS?

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar