TAILANDIA SAI DO PT, DEVE IR PRO DEM E SER VICE DE MARCÃO. OU CANDIDATO A PREFEITO

O vereador Alex Tailândia está dizendo bye-bye pro PT e deve se filiar ao DEM até o final de setembro, período máximo permitido pela Legislação Eleitoral para o troca-troca partidário.

Tailândia pode ser candidato à vice na chapa com Marcos Antonio (PSD), em dobrada a prefeito nas eleições do ano que vem. Daria um oxigênio para um candidato que anda patinando e perdendo apoio.

Olha isso: ainda há possibilidade, mesmo que ínfima, de Tailândia de encabeçar candidatura a prefeito pelo grupo arquitetado pelo empresário de fora, Modesto Júnior. O DEM está de namoro com o empresário.

Os rumores de que Tailândia já estava de saco cheio com o presidente da executiva do PT, Gallo, ganhou contornos irreversíveis na última sexta-feira, 18.

Neste dia aconteceu, à noite, uma reunião no Sindicato dos Ceramistas, em que a pré-candidaturaTailândia a prefeito (pelo PT) seria anunciada.

Mas, Tailândia não compareceu. Segundo ficou estampado, teria dado uma banana para grandes políticos da nossa cidade como o próprio Gallo, Tião Macalé, Pansani, Nelson Morelli e até Hernanes (Mogi Mirim).

Contudo, segundo uma fonte que sabe das coisas, a coisa não foi bem assim.

Tailândia teria enviado uma carta para a ‘fonte’ explicando porque não compareceu. “Simplesmente, ele não foi convidado”, disse a pessoa.

Ainda segundo a fonte, na carta enorme (enviada por e-mail), Tailândia enumera as amplas razões de ter saído do PT:

“Dentre elas, a de ficar atrás do Gallo por todo este tempo, que pouco caso fazia do vereador. A executiva comandada por Gallo simplesmente renegava o Tailândia. Era a pura dor de cotovelo. E agora? Agora o PT perdeu um quadro importante, que se firmou petista a despeito de todo borogodó nacional. E quem pode representar o partido nestas condições? O Gallo?”, esbravejou a pessoa entrevistada.

Vale lembrar que Tailândia vem surpreendendo em todas as aferições pré-eleitorais, de todos os partidos diga-se, como segundo colocado na preferência do eleitorado, atrás do prefeito Walter Caveanha (PTB).

Bate com folga políticos tradicionais como Daniel Rossi (PR) e até mesmo Hélio Miachon Bueno.

OPINIÃO DO JG

Vale dizer que a dobrada com Marcão, se acontecer mesmo, pode criar um embaraço para a situação.

A saída do Tailândia do PT é bem feita para os que se sentem bam-bam-bans do partido no Guaçu.

Gallo, como presidente de executiva petista, é um zero à esquerda – e um empecilho dentro da legenda. Não agrega e só faz esparramo. Está preso a um PT que não existe mais: o do quanto pior, melhor; sem quaisquer pautas significativas. Deveria renunciar imediatamente, pedir perdão pro Tailândia…e ficar fritando pastel, a sua única especialidade.

2. A administração Walter não pode dormir em berço esplêndido. Tailândia vai dar trabalho. Poderá ser o imponderável nas eleições de 2016. Seu nome está além dos partidos. Quanto mais batem nele, mais o povo gosta dele. 

3. Segundo uma grande dirigente partidária, que conversou com o JG na quinta-feira: “Tailândia pode chegar lá”, avalia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *