SEM RESPEITO: PREFEITO, VICE E SECRETÁRIOS TRATAM PRESIDENTE DA CÂMARA COMO NADA

Já é consenso no Legislativo que o prefeito Walter Caveanha (PTB) e diversos secretários municipais tratam o presidente da Câmara, Luís Zanco Neto, o Zanco da Farmácia (PTC), sem o devido respeito que o cargo do parlamentar exige.

Segundo fontes ouvida pela reportagem, tanto Caveanha (que ainda anda borocochô por causa da visitinha que a Polícia Federal fez à sua big mansão, no bairro Bela Vista), diversos secretários literalmente fazem ouvidos de mercador quanto às reivindicações feitas por Zanco.

Secretário da SOV, Salvador Franceli, chegou a negar uma simples lombada que viria garantir a segurança das pessoas na Vila Paraíso

“O que a pedimos em favor da população é tratado com aquela má vontade, sem aquele empenho que um vereador necessita. Mas somos nós que fazemos a lei e quem fiscalizamos o uso correto do dinheiro público”, alegaria Zanco, justamente em diversas oportunidades que o vereador tem desabafado com interlocutores.

O próprio vereador ainda se queixaria que a falta de respeito para com a Presidência do Legislativo só não chegaria ao nível do pessoal porque os cargos de todos exigiriam um certo republicanismo por parte dos agentes públicos do Executivo.

Daniel, vice do Walter: um e outro tratam o presidente da Câmara, Luís Zanco, como o Homem Invisível: como se não existisse

Zanco tem enumerado que muitos secretários chegam a fingir que vão atender os pleitos da Presidência, “pleitos que visariam o bem da população na área de saúde, segurança e obras e viação”, reclama. “Houve um caso em que uma simples lombada, solicitada formalmente ao secretário Salvador Franceli Neto, porém preterida.

“A gente fica sem saber de fato se o prefeito e os secretários nos têm consideração não pessoal, porque não poderia exigir isso, mas ao cargo do qual estou investido pela população. Muito do que solicitamos é engavetado ou deixado para lá, como se fossemos um ectoplasma”, teria ainda desabafado o presidente Zanco.

Outro caso emblemático de desrespeito ao vereador do PTC, um vexame da falta de vergonha na cara, ocorreu recentemente com a vinda de um deputado federal do último escalão da Câmara dos Deputados.

O tal deputado é ligado aos vice-prefeito decorativo, Daniel Rossi, que compareceu ao Guaçu para repassar uma verba de pouco

Adriano da Guarda, o Batatinha, compadre do vice Daniel, exerce cargo de confiança e vale mais que Zanco: compareceu em evento durante hora de trabalho. Zanco, como presidente da Câmara, sequer foi chamado

Mais de R$ 150 mil para a Apae.

A solenidade, pouco formal, contou com a presença  do comissionado Adriano da Guarda, o Batatinha, que em hora de trabalho deixou o seu posto para fazer claque, malbaratando o dinheiro da população.

Zanco sequer foi convidado a comparecer.

“É por essas e outras coisas que nossa administração vai do jeito que vai”, comentou.

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Comentários estão fechados.