SECRETÁRIO LUIZ CARLOS FERREIRA DEIXA O PMDB APÓS SER JOGADO PRA ESCANTEIO

A executiva estadual do PMDB decidiu por pra escanteio o secretário de Cultura de Mogi Guaçu, Luiz Carlos Ferreira, que militou na sigla por 37 anos e teve o seu auge no Guaçu nos governos do então prefeito Hélio Miachon Bueno, impedido de se candidatar a qualquer coisa por decisão da Justiça Eleitoral.

A desfeita contra Ferreira ficou evidente por não tê-lo convidado para participar de um encontro de líderes realizado na pequena Estiva Gerbi, do qual o vice-prefeito Marçal Georges Damião, atual presidente da sigla, teve lugar destacado.

Em virtude da defenestração, só restou ao ainda secretário se desfiliar da legenda e sair atirando contra o presidente do partido em SP, o deputado Baleia Rossi, que busca exterminar a esclerosada ala ligada ao extinto governador Quércia, um dos políticos com maior rejeição entre os eleitores, comparáveis à de Paulo Maluf.

O relógio do tempo passou para Luiz Carlos, a quem restou apenas lamentar contra a executiva estadual do PMDB, representada pelo deputado Baleia Rossi (Foto: O Farol)

“Aí você volta no tempo e lembra que esses encontros eram feitos em Mogi Guaçu. Convidávamos a região toda. Não aceito estar em um partido no qual as portas se fecham e ficamos impedidos de saber o que está acontecendo. Acho que a atitude que tomei foi a mais correta”, declarou para a reportagem publicada no sábado pelo jornal Gazeta Guaçuana.

Como de praxe, Ferreira, um dos mais contundentes oposicionistas do prefeito Walter no passado – e que estaria no atual governo somente por ter sido afiançado por Hélio Miachon – afirmou que já teria recebido convite para ingressar em novas legendas, mas ele não as mencionou. Também ratificou que continua apoiando o atual governo municipal que lhe ofereceu um emprego comissionado com salário de mais de R$ 7 mil por mês.

Por sua vez, o vice-prefeito Marçal observou que teria tentado demover Ferreira da decisão de se desfiliar e o instou a permanecer no novo PMDB.

O vice-prefeito Marçal destacou que ele permanece recebendo convites da executiva estadual da sigla – e que o PMDB continua bem vivo no Guaçu

Contudo, a escanteada de Baleia Rossi falou mais alto e Luiz Carlos não quis ficar. Vale mencionar que Ferreira destacou que não está de bico virado com o diretório municipal da sigla.

Por fim, o vice-prefeito do Guaçu abordou à suposta acusação de falta de comunicação com os demais filiados, por parte da Executiva Estadual, e alegou que ele não tem a obrigação de levar filiados com ele.

“Em nenhum momento o partido está abandonado”, declarou. “Eu mesmo estou recebendo convites para encontros regionais e estou representando a sigla”, ponderou. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *