PONTE DO MODESTO CAIU. O BEATO SALU DO GUAÇU. A FORÇA DE WALTER. E AGORA, AMARILDO? PSOL CHEGANDO

A ponte para o futuro proposta pelo presidente do PMDB guaçuano, Modesto Júnior, acabou implodida por ninguém menos que Hélio Miachon Bueno, o cacique peso pesado mais popular da nossa política. Ao dizer que se o PMDB não apoiar Walter Caveanha (PTB) à reeleição, ele próprio, Hélio, vai…em outras palavras quis falar que o PMDB era ele (Miachon) e ponto.

Por sua vez, Walter, outro cacique peso pesado da política local, jogou mais uma bomba na ponte para o futuro (?) do Modesto, ao mencionar explicitamente que o seu vice será indicado por Hélio. E como Hélio é o PMDB em si mesmo, caberá tão apenas a ele, Miachon, indicar o vice que lhe apraz. Neste quesito, o nome do vereador – e hoje secretário de Obras e Viação, Salvador Francelli Neto (PSL), surge forte. Mas o de Elias Fernandes, do PSDB, continua no páreo.

Diante deste exposto, a reunião política marcada para este dia 18 entre membros do PMDB, PTN, PDT e PV será como bolhas de sabão ao vento.

E o Dr. Denis Camilo de Carvalho, do PC do B, hein, como fica? Bem, Dr. Denis, que já foi cogitado a ser vice Caveanha, parece ter ocupado um espaço significativo como animador de multidões. E este espaço ninguém lhe tasca.

Impressionante o tanto de gente que apoiou o ex-prefeito Paulinho ao ato de pré-candidatura de Walter Caveanha à reeleição, dia 14. Havia desde ex-secretários a comissionados, num festival de estamos aqui para o que der e vier.  A mais notória presença foi a de Amarildo Constantino, que, como seria natural, ficou um tanto acanhado perto de tantos adversários do passado. Amarildo ficou no espaço Genesis pouco tempo, fez uma foto com o deputado estadual Barros Munhoz e deu tchau. Questionado sobre a recepção dos presentes, Constantino disse o seguinte: “No dia 1º de janeiro de 2017 a gente conversa melhor”.

Também impressionou a coesão do PPS em torno de Walter. O time de pré-candidatos a vereador pela legenda estava todo lá, capitaneado pelo presidente da sigla, Mario Zaia. “A palavra em torno do nosso lema é a união”, mencionou Zaia.

O PTC, legenda com maior número de vereadores da Câmara, inclusive com o presidente da Mesa Diretora, Carlinhos da Imobiliária, esteve presente. O presidente da sigla, o vereador e líder comunitário e parlamentar da Zona Sul e Vila Paraíso, Luís Zanco Neto, fez questão de acompanhar de perto os discursos. “O que desejamos é manter uma coesão de ações em torno de propostas positivas”, ressaltou Zanco.

Dois deputados federais que apoiaram o golpe contra a presidenta Dilma Rousseff estiveram presentes no espaço Genesis, dia 14: Nelson Marquezelli (PTB), que pouco fez para o Guaçu nos últimos anos, e o tucano Silvio Torres, que é como um cometa Halley, que passa por aqui de vez em quando e joga sua purpurina sobre os convivas. Ambos apoiam o governo ilegítimo e interino de Michel Temer, o da ponte para o futuro.

Impressionou o apoio denso de lideranças políticas a Walter Caveanha, além de líderes populares, todos num espaço só. Foi uma demonstração hercúlea de que o atual prefeito tem a faca e o queijo para levar um possível quinto mandato para casa. “É um time de respeito, diga-se. E não se pode negar que quem possui um time assim tem tudo para ganhar”, declarou um expert em política guaçuana.

Enquanto isso, o grupo de  Marcos Antonio, o Marcão (PDT), busca se manter estimulado. Obviamente que o tamanho do ato da pré-candidatura de Walter impressiona e deve fazer com que os integrantes repensem articulações.

Contudo, Marcão parece ter uma inserção muito forte entre os mais jovens. Um parâmetro? Numa destas vans que levam estudantes para faculdades da região, dos 11 alunos de 18 a 22 anos, 11 votariam nele se a eleição fosse hoje. E o motorista de 66 anos, em quem vota? “No moço do colégio”, disse. Jovens em ação?!

Olha isso: no encontro de apoio a Walter estavam presentes até mesmo algumas pessoas que até então eram consideradas do grupo do pré-candidato do PSD. Questionadas sobre o fato, foram taxativas em dizer que apoios políticos não podem ficar como pregos na areia. “Ou é ou é”, disse um deles.

Sem apoio parlamentar local, e sequer apoio de gente que faz a diferença na Hora H das eleições, o pré-candidato a prefeito pelo PRB, Alex Tailândia, virou uma citação ambulante de trechos da Bíblia. Não contente, o rapaz que tem um baita potencial político, juntamente com o seu provável vice, anda de rusgas com a imprensa – em especial com o principal veículo de comunicação da cidade.

Além disso tudo, para defender suas premissas, parece se arrogar como o dono da verdade…e não deixa, inclusive, de ‘bater boca’ no facebook com quem não concorda com o que pensa. Nos meios políticos já teria ganhado o apelido de Beato Salu, tamanho o fanatismo que parece transparecer dos seus esgazes bíblicos.

Vale dizer que Tailândia, se modular suas qualidades – que não são poucas, e souber ter um pouquinho mais de paciência com relação às opiniões contrárias, tem tudo para fazer um PAPEL MAIÚSCULO nas eleições de 2016. Vale mencionar que tem condições de levar o caneco, porque não? pois o jogo ainda não foi jogado e tudo está em aberto.

Neste sábado, 21, o PSOL do Guaçu faz o lançamento dos pré-candidatos da sigla, em reunião a ser realizada à rua Minas Gerais, 82, no bairro Centenário, às 10 horas. A sigla deve chancelar a pré-candidatura a prefeito do professor André Luiz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *