POLÊMICA: ZANCO QUER EXPLICAÇÃO SOBRE VERBA PARA CASTRAMÓVEL QUE VIROU TRATOR

O presidente da Câmara, Luís Zanco Neto, o Zanco da Farmácia (PTC), prometeu ir a fundo, doa a quem doer, para saber as razões que levaram a Secretaria Municipal de Obras e Viação (SOV) a utilizar uma verba no valor de R$ 150 mil, do Governo do Estado, para comprar um trator quando, na verdade, deveria adquirir um veículo a ser utilizado em campanha gratuitas de castração de cães e gatos.

O ‘castramóvel’, como o veículo estava sendo carinhosamente chamado, era uma antiga aspiração dos defensores da causa animal aqui em Mogi Guaçu .

A conquista da ‘caranga do bem’ foi uma conquista muito festejada, em especial por ser luta de décadas de centenas de pessoas que realmente se preocupam com os animais de ruas e das famílias carentes, em especial as que não podem arcar com os custos com a castração dos seus pets em clínicas particulares.

Segundo Zanco, esta união de esforços incluía vereadores como Carlos do Kappa e Rodrigo Falsetti, além agentes da Secretaria Municipal de Saúde e do CCZ, Centro de Controle de Zoonoses.

“Mas depois de saberem o destino final da verba é óbvio que todos ficaram realmente decepcionados. E querem saber por que a SOV agiu desta forma, passando por cima dos objetivos de uma causa clara e honesta que, no final das contas, viria garantir melhor qualidade de vida aos animais errantes de ruas e das famílias de baixa renda; bem como evitar possíveis zoonoses”, destacou.

Conforme Zanco, o castramóvel estava orçado em R$ 300 mil, sendo R$ 150 mil de contrapartida do deputado estadual Barros Munhoz (PSDB) e outros R$ 150 mil da também deputada estadual Célia Leão (PSDB).

“O montante financeiro que veio da Célia Leão é destinado a equipar o castramóvel com o necessário para a realização dos procedimentos cirúrgicos, enquanto que a verba do Barros Munhoz seria para adquirir o veículo. Mas, no meio do caminho, a SOV deu uma de João-Sem-Braço e comprou o trator. Nem sequer entrou em contato com a assessoria do Munhoz aqui no Guaçu para saber dos porquês dos recursos. Infelizmente deu uma banana para as pessoas envolvidas com o assunto, que já tinham até mesmo organizado uma campanha de castração”.

Procurada pela reportagem, a secretária municipal de Agricultura e Meio Ambiente (Saama), Otília Papa, que é ligada ao deputado Barros Munhoz, não quis pôr lenha na fogueira e evitou de criticar o colega, Salvador Francelli, secretário da SOV.

Porém, comentou que Munhoz já estava sabendo do ocorrido e se prontificou a buscar novas alternativas para garantir os mesmos recursos financeiros para a aquisição do castramóvel.

 

OUTRO LADO

Procurada pelo JG, a Secretaria de Comunicação da Prefeitura informou que não procede a informação de que a SOV, deliberadamente e intencionalmente, utilizou a verba do castramóvel para adquirir um trator.

Segundo a versão oficial, os recursos destinam-se à compra de equipamentos e serão aplicados na aquisição de uma retroescavadeira, com contrapartida financeira da Prefeitura.

A aquisição dos equipamentos ainda será licitada.

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar