PAU FECHA ENTRE PREFEITURA E GAZETA POR CAUSA DA DENGUE

O clima agora é de nós contra eles. A secretária de Saúde, Clara Alice Franco de Almeida Carvalho, rebateu reportagem da Gazeta Guaçuana com uma nota pra lá de bombástica, como poucas vezes aconteceu na história do jornalismo local.

Clara classificou a matéria publicada na quinta-feira de sensacionalista e de projeção grosseira em relação ao número de casos positivos.  Tudo porque a reportagem informou que o Guaçu poderia ter 10 mil casos de dengue, uma inferência com base em uma declaração da própria secretária, em sabatina aos vereadores na Câmara Municipal na última segundona.

Por sua vez, a Gazeta mantém seu posicionamento e menciona que parte da nota da chefe da Saúde é de cunho pessoal.

Assim sendo, o pau fechou por causa da dengue.  

ESCLARECIMENTO DA SECRETÁRIA
DE SAÚDE SOBRE OS CASOS DE DENGUE

Diante do caráter sensacionalista da manchete do jornal Gazeta Guaçuana, na edição do dia 5 deste mês, quinta-feira – Dengue: cidade pode ter mais de 10 mil casos – torna-se necessário prestar alguns esclarecimentos. O conteúdo da manchete, absolutamente isolado do contexto, contém poder para provocar desespero na comunidade, utilizando informação dada por mim aos vereadores, na Câmara Municipal, em sessão na noite de segunda-feira, dia 2. Afirmei na ocasião que, provavelmente para cada caso confirmado de dengue, de 6 a 10 casos LEVES não são notificados.

São situações em que o paciente não procura o serviço de saúde ou, por não valorizar os sintomas, quando comparece não retorna para dar continuidade ao monitoramento com investigação, o que pode descartar ou confirmar o caso. Há também os casos assintomáticos, em que o paciente, por ausência de sensação, ignora que está acometido. 

Estas informações não autorizam supor, por projeção grosseira, que superam a 10 mil os casos de dengues no município. É um desserviço alarmar a população guaçuana, veiculando de forma espetaculosa uma informação técnica por mim prestada, sem os devidos esclarecimentos.

É importante ressaltar que os dados oficiais são os números de casos confirmados que o setor de combate à dengue publica toda terça-feira. Estes são os casos investigados e confirmados, isto é, REAIS, com os quais TODOS os serviços de saúde trabalham.

O dever ético e responsável é inerente a toda atividade humana, do que não escapa, portanto, a imprensa. Quando é obediente a esses princípios, é dever da imprensa contribuir para o enfrentamento de situação tão grave como a que vivemos, ao contrário de se valer de artifícios que confundem ao invés de esclarecer e alarmam ao invés de conscientizar.

É direito da imprensa apontar erros que ocorram no poder público. É estarrecedor, entretanto, fazer exploração de situação de tamanha gravidade como a que vive Mogi Guaçu no presente momento, quando vidas e a segurança da população estão sendo protegidas com ações sérias por parte da Administração Municipal, em que se empenham dezenas de profissionais competentes, compenetrados e responsáveis. 

Clara Alice Franco de Almeida Carvalho 
Secretária Municipal de Saúde

 

RESPOSTA DA GAZETA GUAÇUANA

Com relação à nota, causa estranheza a secretária Clara Alice Franco de Almeida Carvalho questionar posicionamento que ela mesma ratificou durante sabatina na Câmara Municipal na segunda-feira (2). Como afirma na nota de esclarecimento sobre casos de dengue, relatou, perante jornalistas, vereadores e público presente na Câmara que, “provavelmente para cada caso confirmado de dengue, de 6 a 10 casos leves não são notificados”. 

Como o número oficial divulgado é de 1.129 casos não é difícil presumir que a cidade pode ter mais de 10 mil casos da doença, como noticiou o jornal no último dia 5. As demais observações sobre a matéria, a manchete e as considerações feitas são pessoais e a Gazeta Guaçuana respeita a opinião da secretária Municipal de Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *