ÓIA: MÉDICO AVISA QUE SÓ PENSAR EM COMER BEM TAMBÉM FAZ MAL

A alimentação saudável é ponto pacífico para uma boa qualidade de vida. Comer de maneira equilibrada e saborear alimentos que só fazem o bem à saúde é o grande segredo para ir mais longe.
Porém, quando a exagerada preocupação com o que se come se torna obsessão, o que seria salutar se torna doença. E das brabas. Tem até nome difícil: ortorexia.

É um transtorno alimentar que surge quando a pessoa se torna obsessiva quanto aquilo que come. Ao contrário da anorexia ou bulimia, a pessoa permite-se comer, mas fica tão obcecada com o que come que todos os seus pensamentos ficam ocupados com a dieta.

O médico Jorge Carlos Machado Curi, um dos bam-bam-bans da nutrologia do Estado de São Paulo, confirmou em entrevista ao JG que ninguém deve se tornar prisioneira de uma alimentação saudável. “É um tipo de escravidão que gera problemas emocionais sérios”, diz.  

Êpa, peraí!? E quanto às recomendações para ingerir somente o que é ‘bão’ pro organismo? “Continuam válidas, especialmente para quem precisa de ingesta específicas, caso de problemas de saúde como diabetes, cardiovasculares e a obesidade”, cita Curi.

O nutrólogo destaca que exageros nunca devem ser a regra para quem vai se alimentar. Contudo, pequenos pecados devem ser aceitos porque ninguém é de ferro – e não é isto que fará mal no computo geral.
“Na verdade, as recomendações para uma alimentação colorida continuam em pé, entretanto, fazer disso uma obsessão do tipo que patrulha até o que os outros vão comer é que são outros quinhentos, e ainda nada saudável para a psique”, continua afirmando Curi.

Os ortoréxicos podem ficar seriamente afetados e a comunicação em casa pode sofrer com isso. A pessoa pode começar a isolar-se dos seus semelhantes e tornar-se distante à medida que se vai fixando cada vez mais nas suas regras dietéticas. Fica por vezes intransigente.

Curi, que coordena o departamento de nutrologia da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas, relata que pessoas assim, ou seja, obsessivas, consomem alimentos saudáveis e ficam a esmiuçar o conteúdo nutricional de cada elemento que ingerem.

Calorias, vitaminas e nutrientes tornam-se o ponto fundamental de cada comida e qualquer coisa que contenha o mínimo vestígio do que está na lista do não é permitido não é consumido. Enfim, torna-se escrava de uma dieta que tinha tudo para ser libertadora nutricionalmente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *