MAJOR MELLO ASSUME O COMANDO DA PM COM FOCO NA COOPERAÇÃO DE FORÇAS

O experiente Major Mello Araújo voltou para a região. Desde o começo da semana responde pelo comando interino do 26º Batalhão da Policia Militar, com sede no Guaçu, e formado por 8 municípios no total.

Ele atuava havia cinco meses em São Paulo, no gabinete da Secretaria Estadual de Segurança Pública, onde conheceu práticas policiais de todo o estado e agora pretende empreende-las por aqui.

Na entrevista exclusiva concedida na quinta-feira, o oficial mencionou que volta com um grande objetivo em mente: a integração de forças e órgãos como prefeituras, Ministério Público e Judiciário, dentre outros, para garantir um policiamento mais ostensivo e direcionado à maior sensação de segurança para a comunidade.

“Neste primeiro momento, confiro o que foi modificado desde que saí [quando era comandante de operações] e agir rapidamente. Estou conversando com os comandantes para fazer algumas mudanças e pretendo conversar com os prefeitos para apurar como está o policiamento, e como a população e as autoridades estão vendo o trabalho policial”, ponderou.

Segundo Mello Araújo, este contato inicial é fundamental para o trabalho todo, justamente porque “a gente acha que o policiamento está muito bom, mas a população não está gostando; e às vezes a percepção nossa parece que o trabalho não está legal, porém a população tem outra visão”.
A busca é por indicadores de uma segurança efetiva, que melhore dentro do que for possível. Ele pretende ‘quebrar’ hábitos arraigados considerados corretos, porém sem resultados efetivos.

“E para isso é necessário o comprometimento de outras pessoas e autoridades, órgãos e instâncias para pôr em prática novas formas de atuação”.

No que se refere à Polícia Militar, de acordo com o oficial, fica mais fácil de empreender estes novos modelos de combate ao crime. Mas, em relação a outros órgãos será preciso conversar e manter o diálogo constante.

“Para ter uma cidade em segurança é fundamental interagir com a prefeitura, o poder Legislativo, o promotor, o juiz, o delegado de polícia, pois sem isto fica difícil de trabalhar”.

O major revela que, quando deixou o comando de operações, a região e Itapira, em especial, estavam em um caminho bom de busca e apreensão, com invasão a residência de criminosos, demonstração da força da polícia e aumento significativo da sensação de segurança.

“Quero ver se este caminho que abrimos ainda está aberto e buscar a integração constante para empreender um esforço de segurança”, argumenta.  “Na Secretaria de Segurança eu conheci boas ideias e práticas policiais diferenciadas em todo o estado e acredito ser possível colocar em prática em nossa região com uma base de cooperação”, complementou.

Para que tudo dê certo, assegura exercer a liderança pelo exemplo, apesar de, como comandante de batalhão, tarefas burocráticas e administrativas irão exigir atenção redobrada.
“Mas a minha dinâmica policial sempre foi estar nas ruas, porém acredito que primeiro passo para uma demonstração de trabalho é fazer aquilo o que deve ser feito primeiramente”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *