LIVROS DO ESTADO REFORÇAM MATERIAL DIDÁTICO DAS ESCOLAS MUNICIPAIS

O material didático do Ensino Fundamental I e II das escolas municipais de Mogi Guaçu está sendo reforçado, pela primeira vez, com livros fornecidos pelo Governo do Estado através dos programas “Ler e Escrever” e “São Paulo Faz Escola”. A Prefeitura aderiu ao convênio no final do ano passado.

A Secretaria de Educação já recebeu e distribuiu, para todos os alunos do 1º ao 5º ano, 9.200 livros do Programa Ler e Escrever, que atende o Fundamental I.

Para estudantes do 6º ao 9º ano do Fundamental II, o Programa “São Paulo Faz Escola” fornecerá 40.000 livros no total. Os primeiros 10.000, para o 8º ano, chegaram na segunda-feira, dia 17.

Para os docentes, os programas fornecem o livro do professor, de cada disciplina, em forma de guia.

Pedagogas da Secretaria de Educação participaram da ATPC (Aula de Trabalho Pedagógico Coletivo) para usar material e passaram o que aprenderam para os coordenadores e, estes, para os professores, como parte da formação continuada dos educadores da rede municipal.

Os livros fornecidos pelo Governo do Estado serão empregados em sala de aula concomitantemente aos livros do PNLD (Programa Nacional do Livro Didático), do Ministério da Educação, que a Secretaria de Educação voltou a adotar nas escolas municipais em 2013.

Os livros do MEC são fornecidos sem custos para o Município e substituem o sistema apostilado que era usado na gestão anterior ao custo anual inicial de aproximadamente R$ 2,5 milhões.

Em junho de 2013, a Secretaria de Educação recebeu 27 mil exemplares de todas as disciplinas do 1º ao 5º do Ensino Fundamental. As edições para 2014, selecionadas em agosto, foram entregues diretamente nas escolas.

Todas as escolas da rede municipal estão recebendo todo tipo de material escolar e papelaria e material de escritório para consumo no ano letivo de 2014, que chegam ao almoxarifado da Secretaria de Educação desde dezembro.

A compra, no valor de cerca de R$ 100 mil, foi feita com recursos do Fundeb. (informação e foto produzida pela Secretaria de Comunicação Social)

 

OPINIÃO DO JG

É preciso dar crédito para o trabalho da secretária Célia Mamede e do coordenador Paulo Paliari. A pasta de Educação é grande, há divergências (sempre haverá) e modelos pedagógicos perfeitos não existem; mas há os que se adequam melhor para cada estilo de de vivência educacional. Caso os livros sejam, de fato, o que há de melhor e mais democrático no manejo do ensino do Guaçu; se se permite mais ampla participação de professores e agentes escolares na definição dos rumos da alfabetização e difusão do conhecimento, portanto, merece os aplausos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *