JUSTIÇA DETERMINA FIM DA GREVE NA MAHLE, MAS OBRIGA EMPRESA NÃO DEMITIR

Na audiência de conciliação realizada ontem no TRT-15, em Campinas, a Mahle aceitou  abrir  negociação  com  os  representantes da  categoria.

O juiz  determinou  o fim do  movimento grevista  sob o  risco de ser julgado à revelia. Com a decisão, todos os trabalhadores voltaram ao trabalho.

Por outro lado, também determinou que  a empresa apresente balanço  econômico  nos  últimos  12 meses,  pois que  alega prejuízo para honrar as reivindicações dos trabalhadores.

O balanço  será acompanhado por  um contador  do  Ministério Público do Trabalho (MPT) e um do sindicato dos metalúrgicos.

E relação aos  dias  parados, a empresa desejou que fosse pagos  em  dias de  sábado ou desconto em férias, mas  o  sindicato  não  aceitou, ficando  acertado que a  empresa  arque  com  dois  dias e mais  DSR (desconto semanal remunerado) e ou demais dois  dias descontados nos  primeiros meses  de 31 dias de 2015, ou seja, 31 de janeiro e marco respectivamente.

Na próxima segunda-feira, 1º, haverá nova audiência em Campinas  para a empresa apresentar  a sua  proposta  do abono pecuniário, já que o juiz  sugeriu esse  nome  para  o  abono e não mais emergencial  ou  abono complementar

A Justiça ainda arbitrou 60 dias  de estabilidade no emprego. Sendo assim, no período a Mahle não poderá  demitir  nenhum  funcionário que  aderiu  ao movimento.

Mais de 3 mil trabalhadores participaram da assembléia da noite de terça-feira. 

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar