IVENS CHIARELLI: “EU ESTOU FECHADO É COM O POVO”

“Estou fechado é com o povo”. Assim confirma na entrevista concedida ao JG o vereador Ivens Chiarelli, “do PTB”, enfatiza, um dos mais populares de Mogi Guaçu.

O líder do prefeito é um dos campeões na apresentação de proposituras na atual legislatura da Câmara Municipal, contudo, não poupa críticas a quem tem se esmerado em ser, como ele definiu, paladino da moralidade, santarrão de marca menor, usurpador do santo nome de Deus.

“São os vocacionados a verem o povo apenas como massa de manobra, que não tem vergonha de citar trechos da Bíblia, mas ama o capital. Falam de Deus, mas são capazes de sentar num bar e tomar cerveja até mesmo com o capeta. Tudo em nome dos seus interesses”.


JG: sobre as casas do Ypê Amarelo, quem fala a verdade?

Ivens Chiarelli: eu digo uma coisa, sendo eu o líder do prefeito Walter, o meu objetivo era de trabalhar de forma a agilizar a construção das casas e beneficiar a população rapidamente. Agora, quem pediu vistas ou solicitou requerimentos ao Executivo sabia o que estava fazendo e prejudicou a população, adiando as obras visando tripudiar do povo com o simples o objetivo de prejudicar o governo Walter. Bom, as casas estão aí, prontas e a população feliz. Caveanha deu uma banana aos detratores de plantão e aos falsos bonzinhos, e concluiu tudo num prazo muito bom. Eu permaneço dizendo: quiseram melar as casas e não foi a bancada de situação, aquela que dá apoio ao prefeito. A população saberá julgar quem foi e vai desaprovar esta linha de conduta nas eleições.

JG: pode dizer nomes?

Ivens: não quero criar polêmicas à toa. Deixo na consciência de quem fez isso e possa pedir perdão a Deus, justamente por escamotear a verdade através de mentiras ou vice-versa. Se a população quiser saber é fácil identificar a trajetória desta pessoa. Nas eleições passadas, por exemplo, teria pego uma grana de um certo candidato a prefeito e nunca mais devolvido, além de trair o então companheiro de chapa. Quem será esta pessoa? Um grande jornal da nossa cidade entrevistou o então candidato a prefeito, naquela época, e ele deu os nomes, e se não me engano também o valor arranjado para a campanha à vereança.

JG: alguma indicação ao menos?

Ivens: prefiro não comentar abertamente e deixar que saibam que quem paga matéria em jornal para trocar mentiras por verdades não passa de um grande desvairado. Uai, qual a veracidade de um conteúdo destes? Papel aceita qualquer coisa, né mesmo!?.


JG: e sobre os ovos de chocolate?

Ivens: é um assunto que já é passado, mas a população precisa saber e perguntar quem fez daquilo um escândalo, uma ópera bufa, que por fim prejudicou as crianças. Da minha parte, eu não faria nada porque as famílias esperavam o tradicional ovo de chocolate para seus filhos. É uma tradição de anos. O prefeito Walter buscou todas as alternativas possíveis, mas houve sem noção que foi às redes sociais e fez carnaval e, por fim, as crianças não receberam nada. Quem está com a razão? As urnas falarão mais alto.

JG: e sobre sua exoneração por causa de mudança de partido?

Ivens: sempre respeitei a Justiça e acato qualquer determinação legal que Ela inferir. Tenho todos os aspectos do direito também a meu favor, mas tem uns aí que, por só querer o mal da nossa cidade, ou por ter inveja de mim, fica torcendo pelo contrário. Não sei se é bufão ou sem noção de fato quem propaga cidade afora. Pessoa assim não deveria usar o nome santo de Deus em vão para fazer política rasteira. Me faz lembrar de Sodoma e Gomorra. Lá, dizem as Sagradas Escrituras, muitos olharam para trás e se transformaram em estátuas de sal, sem trazer nada de bom. São os mesmos que Jesus mencionou serem os sepulcros caiados por fora, mas podres por dentro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *