IDOSA PRECISA DO SAMU, QUE NÃO APARECE: MORTE

O delegado José Emídio Carvalho Silva registrou como omissão de socorro o suposto não atendimento por parte do SAMU à idosa Terezinha da Silva, de 77 anos, que morreu em decorrência de disritmia cardíaca. Foi o que noticiou a Gazeta Guaçuana na edição desta terça-feira

O caso agora deve parar na Ouvidoria do órgão, conforme orientou a família da vítima o coordenador Vagner Tadeu Cezaroni, que, porém, alegou não saber do caso que teria acontecido na noite da última sexta-feira.

A filha da ‘vovó’, Lenita Fernanda da Silva registrou o não atendimento à Guarda Municipal durante o sepultamento da mãe. Ela relatou em Boletim de Ocorrência que acionou por duas vezes o SAMU, sendo que na primeira vez teriam desligado na cara dela. A segunda vez o médico teria conversado com Lenita e falado que uma viatura estava a caminho, mas a caranga nunca apareceu.

Cansada de esperar resolveu levar a mãe à Santa Casa, mas dez minutos depois a idosa veio a falecer.

Não apenas no Guaçu que a coisa fede pro SAMU. Em Itapira, há 10 dias, houve reclamação pela demora no atendimento à vítima no residencial Hélio Nicolai.

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar