HÉLIO NÃO VAI? WALTER LIDERA. TAILÂNDIA CACIFA. MARCÃO MEZZO. SOLIDARIEDADE E PPS AVANÇAM. PMDB EM DECISÃO. PSDB FORTE

Está cada vez mais difícil para que o ex-prefeito Hélio Miachon, ainda no PMDB, seja candidato a prefeito. Segundo fontes, Hélio se encontra nunca sinuca de bico. Primeiro porque há dificuldades inerentes ao fantasma chamado IBRAPP. Depois, porque há o compromisso moral com o atual prefeito, Walter, para apoiá-lo, quem sabe. Miachon Bueno ‘tem’ cargos chaves na atual administração, e de certa forma participa da gestão indiretamente.

O sonho de ouro do prefeito Walter Caveanha (PTB) é ter Hélio Miachon como cabo eleitoral de luxo. O núcleo duro do poder municipal avalia que Hélio é determinante para sacramentar o quinto mandato de Caveanha sem grandes percalços.

O fato é que parte considerável dos comissionados já começa a orar o rosário suplicante. Sim, isto mesmo, para que Miachon Bueno não seja candidato – e assim Walter ganhe para que todos assegurem a compra do final do mês.

Supostas aferições que a coluna teve acesso dão conta de que Walter venceria o pleito de 2016. Num dos levantamentos, ligado ao grupo de situação, aponta Walter ganhando de lavada, com Hélio em segundo bem atrás. A outra aferição, de um grande cardeal da política, põe Walter em primeiro, mas apenas cinco pontos à frente de Miachon Bueno. Um terceiro levantamento está em andamento nesta semana. É de um ‘independente’.

Outro dado importante diz respeito ao desempenho de Alex Tailândia (PRB), com capacidade de surpreender no ano que vem. Tailândia tem dito que será candidato a prefeito a interlocutores graúdos, inclusive da administração municipal. Estaria pavimentando, quem sabe, segundo disseram, o pleito de 2020 desde já. Contudo, será que terá a mesma força caso venha a perder o mandato por infidelidade partidária?

Marcos Antonio, do PSD, também continua no páreo. Com intenções que o cacifam o terceiro lugar de momento, mas pouquíssimos pontos à frente de Tailândia, conforme as supostas aferições mencionadas acima.

Há quem diga que uma dobrada entre o empresário com o vereador do PRB daria grandes chances de a dupla chegar lá. Porém, por outro lado, ‘videntes’ da política indicam que, separados, pavimentam a vitória de Walter facim-facim.

Fonte bam-bam-bam assegura que o  grupo ligado a Marcão poderá fazer um bom número de vereadores e ter presença marcante na Câmara Municipal, com candidatos que dificilmente cederiam a Walter, por exemplo, em troca de 3 ou 4 cargos.

Outra legenda que deverá ter um diferencial no Legislativo é o Solidariedade, com dois nomes bastante cotados para assegurar suas respectivas cadeiras, como o vereador e líder político e comunitário da Zona Sul e Vila Paraíso, Luís Zanco, o Zanco da Farmácia 9que trabalha no quieto de forma efetiva à população); e o vice-prefeito Marçal, que retomou a base sindical, tem visitado diversos bairros do município, e conta com apoio de pessoas de sua interia confiança . Isto sem falar em outros prováveis candidatos com boa densidade política.

Ninguém tem prestado atenção, mas o PPS, e partidos em coligação quase sedimentada, tem o condão de fazer bonito em 2016, na Câmara Municipal. Capitaneados pelo presidente do diretório, Mário Antonio Zaia, e o sempre calmo e analítico, Elias Fernandes de Carvalho, o grupo já conta com nomes que podem ter performance que deixará boquiaberta muita gente. Conta a favor o apoio do deputado estadual Davi Zaia, o homem que trouxe o Poupatempo para Mogi Guaçu, quando secretário estadual de Gestão Pública, juntamente com Mário Zaia, aliás, seu primo. 

E o PMDB, como fica nessa? O presidente da sigla, Modesto Júnior, que de modesto e bobo não tem nada, tem conversado informalmente com a coluna e informa que, sem Hélio, caso isso aconteça de fato, o partido vai avaliar outras possibilidades. Além disso, Modesto busca articular para o Legislativo, conversando aqui e acolá. “Temos um projeto para Mogi Guaçu crescer, se viabilizar no futuro e se desenvolver no presente”, garante o empresário que faz a política ao estilo mineiro, no quieto e só ‘bservando’, para não comer apressado e queimar a língua.

O PSDB é o partido que melhor se posiciona para as eleições 2016 em relação ao Executivo. Caso Hélio possa ser candidato, a legenda será manda-chuva na administração, com  uma possível vitória do provável futuro tucano. Se Walter ganhar a reeleição, por outro lado, a legenda deverá se posicionar como apoiadora do próximo mandato, o quinto do petebista, com possivelmente cargos que não apenas de fachada, como a Cultura.

 Isto acontece devido à sagacidade e ao pensamento rápido de Otília Papa, presidente da legenda tucana no Guaçu, que possui uma visão de 360º da política local. Além de tudo, a presença de Barros Munhoz, um dos grandes da política nacional, faz toda diferença.

Dois vereadores que parecem que entram menores no próximo pleito ante 2012 são Daniel Rossi (PR) e Jéferson Luís (PROS). O primeiro, que já foi cotado a ser vice de Walter, foi perdendo o gás ao longo dos últimos três anos. Por sua vez, Jéferson foi definhando politicamente e hoje é um arremedo do ar fresco que um dia representou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *