GUAÇU VENCE A DENGUE, REVELAM DADOS DA SAÚDE

A Secretaria Municipal de Saúde vence a maior epidemia de dengue da história do Guaçu. Após 14.515 casos confirmados, e 18 suspeitas de mortes, o município atingiu níveis mais do que satisfatórios de Índices Predial (IP) e Breteau (IB), que revelam a infestação de larvas.

Foi o que divulgou esta semana o Programa de Epidemiologia e Controle de Doenças da Secretaria de Saúde, emitido na quinta-feira, dia 23.

Os dois indicadores são os principais referenciais estatísticos para controle da dengue na área urbana. No relatório atual, ambos coincidem nos resultados e excluem das condições de alerta e de risco as cinco áreas de cobertura, que se subdividem em 19 setores.

O Índice Predial refere-se à quantidade de criadouros do mosquito Aedes aegypti por imóvel, enquanto o Índice Breteau corresponde à quantidade de larvas por recipiente. Índice menor que 1 é satisfatório, de 1 a 3,9, alerta e maior que 3,9, é de risco.

Na média, Mogi Guaçu registra IP e IB e 0,6 em julho.

O relatório indica 0,31 no setor 2 da Área 1, coberto pela UBS (Unidade Básica de Saúde) do Jardim Guaçu-Mirim, na zona Sul, e 0,25 no setor 1 da Área 3, que corresponde à região da UBS Zona Norte (Jardim Novo).

Nos demais setores e nas outras áreas, ambos indicadores zeraram por não alcançar índice, mas isto não significa que estejam livres de criadouros de larvas, embora o recuo acentuado da incidência de casos positivos seja considerado normal nesta época do ano.

De acordo com o relatório semanal de casos de dengue divulgado também nesta quinta-feira, Mogi Guaçu registra 14.515 casos positivos, incluindo 13 de outras cidades, e aguarda o resultado de 25 exames, de um total de 20.007 notificações desde janeiro deste ano.

Por essa razão e como medida de prevenção para impedir que a dengue continue a avançar em 2016, a Vigilância Epidemiológica mantém as ações de controle e combate ao vetor da doença no Município.

As ações atuais, após intensas operações de nebulização realizadas ao final do primeiro semestre em toda a cidade, consistem da busca ativa de criadouros através de vistorias domiciliares.

Vale lembrar que a dengue no Guaçu foi influenciada por milhares de casos em Itapira, onde houve 9 mortes, Mogi Mirim e, principalmente, dengue.

AÇÕES

Esta semana as equipes se concentram nos bairros da Área 5, que é dividida em oito setores, desde a zona Leste até a zona Norte, vinculados a Unidades Básicas de Saúde ou Unidades de Saúde da Família que abrangem os Jardins Suécia, Zaniboni I e II, Fantinato I e II, Santa Terezinha, Santa Cecília e Chaparral.

Equipe emergencial da SUCEN (Superintendência do Controle de Endemias) também auxilia a Vigilância Epidemiológica de Mogi Guaçu e deve concluir sua participação nesta sexta-feira, dia 24, quando termina o serviço no Jardim Suécia e no Jardim Hermínio Bueno (Área I).

As ações preventivas que estão sendo realizadas em Mogi Guaçu estão contempladas em acordo de cooperação regional em uma frente de combate à dengue que conta com a participação de mais três cidades da Baixa Mogiana: Mogi Mirim, Itapira e Estiva Gerbi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *