GUAÇU PODE GANHAR PACOTAÇO DE ACESSIBILIDADE COM PONTES, DUPLICAÇÕES E RECAPES

Quem nunca passou perrengue no trânsito do Guaçu em horário de pico que levante a mão! O funil nas vias que ligam o centro com outras regiões da cidade é um estado permanente de estresse para quem tenta se locomover pelas apertadas ruas de acesso. Um verdadeiro sufoco.

A boa notícia é que duas novas pontes podem ser construídas com a liberação da grana do governo federal.

As duas novas pontes poderão ser construídas sobre o rio Mogi Guaçu, uma ao lado da Ponte de Ferro e outra na Avenida Brasil. Além disso, o pacotaço de acessibilidade prevê a duplicação da Avenida Brasil e da construção de um corredor de ônibus partindo Ypê Amarelo até as proximidades do Cemitério da zona Norte.

O recurso ainda poderá ser usado para o recapeamento de outas ruas da cidade.

Isto acontece porque Mogi Guaçu tem projeto pré-selecionado para um programa de mobilidade.

O município está inserido na primeira lista de propostas pré-selecionadas pelo Ministério das Cidades para integrar o programa de financiamento de projetos de mobilidade urbana, segundo publicação feita no dia 1º de dezembro.

Essa relação refere-se aos municípios que estão inscritos no Avançar Cidades – Mobilidade Urbana para o Grupo 1. A publicação refere-se à 3ª etapa do processo, que é a divulgação das propostas pré-selecionadas.

Esta lista, contendo 348 propostas de cidades de todo o país, ratifica o pré-enquadramento das cartas-consulta cadastradas no sistema que foram recepcionadas e analisadas pelos Agentes Financeiros até 30 de novembro de 2017 e é pré-requisito para que cada proposta passe à etapa seguinte do programa. Mogi Guaçu apresentou projeto de quase R$ 30 milhões em obras de mobilidade urbana.

Município está atendendo a todas as exigências do Ministério das Cidades. Um projeto de lei poderá ser votado em caráter de urgência pela Câmara para autorizar o convênio com o governo Federal para este fim. Outro ponto é que a Prefeitura precisa comprovar que está capacitada para contrair o financiamento dos R$ 30 milhões.

O prefeito Walter Caveanha lembra que este projeto foi iniciado em 2013, quando o Município apresentou um pedido de R$ 50 milhões. Com a readequação feita pelo governo Federal, uma nova proposta foi formulada.

“Há de se reconhecer o empenho do deputado estadual Barros Munhoz e do senador Aloísio Nunes para que Mogi Guaçu receba esse recurso, que é extremamente importante para a nossa cidade”, disse.

As propostas que tiverem parecer favorável nas análises de risco e de engenharia serão validadas pelos agentes financeiros. Na sequência, o Ministério das Cidades publicará periodicamente a seleção final das propostas, sendo este o momento em que os recursos disponíveis para o programa serão alocados para cada proposta.

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar