GALO DO PT FALA MUITO, MAS LEVA TÓIM DO SECRETÁRIO DE ESPORTES

O ex-comissionado da pasta de esportes do governo Paulinho Barros, o pasteleiro Alceu Kemp, o Galo, levou um verdadeiro tóim do secretário de esportes, Rodrigo Falsetti.

O motivo da polêmica não poderia ser outro: a Praça da Juventude, obra de magnitude da gestão anterior que, infelizmente, ficou mais fechada do que aberta, à disposição dos moradores da zona leste.

Galo “denunciou” na imprensa a falta de investimentos ou de serviços para que a Praça estivesse nos trinques. Vale a menção de que a Praça foi inaugurada por Orlando Silva, um político-ministro que ficou conhecido por supostos escândalos de corrupção.

O ex-ministro dos Esportes, Orlando Silva, com o ex-secretário dos Esportes, Carlos Ferrari, do PT, na inauguração da Praça da Juventude: dia de festa!

A “denúncia” na imprensa veio com pompa, circunstância, e em brumas de mil megatons; mas faltou dizer que a Praça foi inaugurada inacabada quando, por aqui, era secretário de Esportes justamente quem? Carlos Ferrari.

Sim, Ferrari, de cuja gestão ficou conhecida pelo corte uns eucaliptos lá no Cerep, da Vila Paraíso, em episódio que quase sofreu investigação por parte da Câmara Municipal.

Isto porque ninguém soube dizer onde foram parar as toras de eucaliptos que, como se sabe, no Guaçu, dá um bom investimento.

Tudo bem, Ferrari não pode ser responsabilizado pelas “denúncias” de abalar Bangu de Galo, que se aproveitou para fazer um tipo manjado de factóide, destes que arromba portas abertas.

Lógico que, como cidadão – ou dirigente de partido – Kemp tem todo o direito de cobrar do poder diversas ações para que implementos públicos sejam colocados à disposição da população. E a Praça da Juventude é implemento público.

Contudo, o que ficou parecendo é que Kemp tentou retirar a parcela de culpa de quem teve a caneta na mão e deixou por deixar uma obra que tinha tudo para dar certo, mas não deu porque nasceu equivocada.

Neste ponto, Falsetti está coberto de razão de imputar tudo aquilo ( na Praça) ao PT de Galo – em partes, claro – porque a obra é filhote da legenda aqui no Guaçu, e ainda teve como pai o esperma do PC do B e o ventre da antiga gestão. Tudo junto e misturado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *