FRANGO É A BOLA DA VEZ COM O PREÇO DA CARNE

A diferença de preços entre a carne de boi e a de frango é a maior em onze anos, segundo dados da Escola de Agricultura da USP, que acompanha os preços destas carnes há mais de dez anos.

A depender do tipo de carne bovina que se escolhe, dá para levar até seis quilos de carne de frango. É uma baita diferença que faz a alegria da dona de casa que se esmera em economizar.

Vale dizer que a carne de boi está em alta devido a vários cenários, o econômico é o principal, mas o produtivo não fica atrás. O Brasil está produzindo menos carne vermelha, algo em torno de 7,7%, mas o mundo está comendo mais, sendo o nosso país um dos principais produtores internacionais. O mesmo contexto se verifica no mercado interno.

Nos estabelecimentos pesquisados, a média do quilo dos cortes nobres mais procurados, caso da alcatra e contrafilé, é de R$ 27,50 – com pequenas variações.

A peça tradicional de picanha, algo em torno de 1,3 quilo, não sai por menos de R$ 65,00. O do filé mignon nem se comenta.

A saída sempre foi por comprar carnes de segunda, porém o preço do quilo também não é nada convidativo, a não ser em dias de oferta, quando caem para metade do valor das primas mais ricas.

Acém e músculo, chamadas de carnes de panela, figuram no topo da lista de quem não abre mão de um boizinho nas refeições. Nos supermercados de Itapira são comercializadas na faixa dos R$ 13 a R$ 14,50 o quilo, mas há outras opções legais como bananinha, ponta de alcatra e até lagarto, que podem trazer de volta o ‘faz-me-rir’.

Donas de casa orientam a prestar atenção aos cartazes e pesquisar as gôndolas em procura daquelas carnes com osso, como suan e bisteca, que passam despercebidas pela maioria dos consumidores, e por vezes ficam com os preços bem supimpas.

A carne de porco, que até bem pouco figurava como opção mais em conta dentre as carnes, fazendo um contraponto à congênere bovina, deu de torcer o rabo e preocupar os consumidores, embora com valores ainda não tão salgados. O incremento foi da ordem de 15% em relação aos valores praticados meses atrás

FRANGO –
os clientes têm optado pela carne de frango para fazer a mistura nossa de cada dia. O preço do quilo da peça inteira, a mais procurada, é de R$ 4,50 em média, e possibilita aproveitar os cortes de maneira quase integral. A dona de casa Cleudenir de Castro Machado ensina que é importante levá-lo inteiro, justamente para economizar ainda mais, embora o trabalho na cozinha seja maior.

“Hoje, o frango é a alternativa mais viável em termos de carne barata”, diz dona Cleudenir. Contudo, a alta do frango nos últimos 12 meses foi de 3,33%. Se não está barato, pelo menos está menos salgado. (DA GAZETA ITAPIRENSE)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *