FLAGRA: FUNCIONÁRIOS DA SANTA CRUZ ALVO DE RECLAMAÇÃO DE USUÁRIOS DO TRANSPORTE COLETIVO

Usuários do sistema de transporte público de Mogi Guaçu enviaram fotografias para reclamar acerca de funcionários da empresa permissionária, a Viação Santa Cruz.

Os funcionários foram flagrados sentados folgadamente nos bancos de um ônibus enquanto os usuários, que pagam tarifas, viajavam em pé na linha Mogi Guaçu X Mogi Mirim no horário das 13h10 (com partida do terminal Ingás, no Guaçu). O caso aconteceu nesta segunda-feira, 11.

“É absurdo uma situação destas”, alegou a dona de casa Adelma Marigue, que conversou com a reportagem ainda dentro do coletivo. “Eles nem se tocam que temos prioridade”, declarou a mulher de 53 anos.

A comerciária Fabiana Alencar também estava indignada. Ela contou que ficou olhando para os funcionários para ver se eles levantavam, “mas que nada: ninguém se dignou a dar o exemplo”, mencionou. “Eles não pagam tarifa”, esbravejou.

Enquanto isso, o povão que paga tarifa vai em pé e apertado feito sardinha. Já os funcionários, que não pagam nada, viajam sentados e dando risadas

O JG entrou em contato com o atendimento online da Viação Santa Cruz e a atendente de nome Karoliny informou que situações como estas devem ser relatadas por meio de formulário online disponível no site da empresa, que vai apurar a denúncia.

Por sua vez, o secretário de Obras e Viação, Salvador Franceli Neto, informou que a SOV mantem um canal de reclamações direto em relação aos serviços de transporte coletivo local. “Eu próprio e a servidora Sílvia averiguamos todas as reclamações”, observou.

Sobre a reclamação acima, Franceli Neto observou que os funcionários não agiram de forma correta e que vai apurar o caso com certeza.

One thought on “FLAGRA: FUNCIONÁRIOS DA SANTA CRUZ ALVO DE RECLAMAÇÃO DE USUÁRIOS DO TRANSPORTE COLETIVO

  1. CLEOFAS DA SILVA VIANA says:

    Amanhã estaremos levantando a inscrição cadastral da área para sabermos se é pública ou particular, mas independentemente disso aquilo tem que ser removido por se tratar de risco á saúde pública, como eu não sei porque está difícil o entendimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *