FIM DE MUNDO: AGITADORES DO FUNK PREPARAM PROTESTO CONTRA DELEGADA QUE PÕE ORDEM NA BAGUNÇA

É o fim da picada. Organizadores de bailes funk, considerados agitadores por centenas de pais de família, estão convocando um protesto contra a delegada Judite de Oliveira, atual secretária de Segurança de Itapira. O ato tem dia e hora para acontecer: no próximo dia 17 na Câmara Municipal.

Os agitadores alegam que a delegada, que está pondo ordem na moçada que gosta de um fuzuê, tem coibido a realização de festas e bailes. “Não dá nem 10 minutos e ela chega e acaba com tudo”, diz um post no facebook, com um apanhado de erros de português, que pretende insuflar o motim que já estaria sendo monitorada por especialistas em internet.

O JG apurou que a Dra Judite trabalha no estrito dever da lei, coibindo excessos como o abuso de álcool, drogas, baderna, desrespeito ao silêncio alheio e falta de educação generalizada. Até mesmo menores de idade, inclusive meninas, participariam destas algazarras.

Além isso, de acordo com uma fonte ouvida, a maior parte dos bailes é denunciada por moradores vizinhos das festas, que não aguentam mais ouvir tanto barulho.

“A delegada somente comparece para evitar o pior, na proteção da sociedade, do patrimônio público e particular, e atém mesmo de quem frequenta as festas”, disse um advogado que pretende ingressar no Ministério Público e na Justiça contra os realizadores dos eventos. “Ninguém aguenta mais isso, ou se usa o rigor da lei, ou a sociedade vira uma zona”, exclamou.

No Face, o post do protesto alega o contrário. Diz que nada é realizado com zona e que não há brigas, e tão pouco vai tolerar este tipo de coisas no protesto. “Somos cidadões e temos que gritar pelo que queremos , lembrando algo civilizado sem zona , nada de brigas ou coisas ofensivas , quer se ajuntar a nos para sermos livres”, diz o texto que agride de forma indelével a língua portuguesa.

As forças de segurança já estão de olho na moçada. A reportagem confirmou que o protesto será acompanhado bem de perto e monitoramento de câmeras será utilizado para identificar possíveis baderneiros.

Também poderá haver agentes à paisana para identificar os líderes do motim, e com isto buscar conexão com o abuso de etílicos e de entorpecentes.

 

OPINIÃO DO JG

Os manifestantes poderiam mudar o tom dos discursos e protestar contra as barganhas políticas. Seria muito mais oportuno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *