ENTREVISTA: ATIVISTA GAY MANDA VER CONTRA O PRECONCEITO DOS INTOLERANTES

Deco Ribeiro, jornalista, educador e comunista, é diretor da Escola Jovem LGBT, a primeira do gênero no Brasil. Ele não tem travas da língua quando o assunto é o direito dos homossexuais. E fala com propriedade, com verve solta e conhecimento de causa. Um dos temas abordados na entrevista abaixo são os ataques e agressões físicas aos gays, lésbicas, travestis e transexuais – e o que se deve fazer quando se é vítima da intolerância. 


JG –
Os ataques aos homossexuais são cada vez mais constantes. Tanto é que o termo blindar surgiu para designar o fato de andar em grupos para evitar ser atacado. Você defende a medida?

Deco Ribeiro – sempre recomendamos que lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, principalmente os mais jovens, andem em grupos. Porque os intolerantes são covardes, sempre andam em grupo, e procuram alvos isolados. Mas também não adianta, na hora de um ataque, cada um sair correndo para um lado e largar o mais fraco sozinho. É preciso parar de fugir e enfrentá-los.

JG – É possível que estes ataques estejam acontecendo porque as garantias civis para gays estão cada vez maiores, especialmente em termos de conquistas?

Deco – os homofóbicos que realizam esses ataques não sabem nada de garantias civis. O que os incomoda é a visibilidade, principalmente na mídia. Gays estão em toda a parte hoje em dia e isso força quem tem preconceito a se confrontar diariamente com o seu recalque e seu preconceito.

JG–
o que sugere aos homossexuais quando forem agredidos ou vilipendiados em seus direitos como cidadãos?

Deco – denunciar, sempre. Ir à polícia, fazer B.O, contactar os órgãos governamentais responsáveis pela promoção de direitos LGBT. Só assim essas agressões ficam registradas e ações e políticas públicas podem ser realizadas para melhorar esse quadro. Sem registros não há dados. Sem dados, não há política pública. Você pode se informar melhor discando 100 de qualquer telefone.

JG – quais ONGs ou grupos que indicaria para os homossexuais que se sentem ameaçados?

Deco – ONG nenhuma. É o Estado que deve garantir sua segurança, não um grupo. Denuncie, disque 100. Em SP, procure a Coordenadoria de Políticas para a Diversidade Sexual da Secretaria de Justiça: www.justica.sp.gov.br.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *