ELEIÇÕES 2014: SAMAE VIRA BOLA DA VEZ E SE TRANSFORMA ALVO DE ATAQUES

Às vésperas das eleições gerais de 2014, o Samae se transformou na bola da vez para todo o tipo de ataque. O pior é o relacionado à (in)eficiência em atender os reclames da população.  Esta é a percepção de pessoas ligadas à política do Guaçu. “A tecla deverá ser esta daqui para frente”, segundo um analista que acompanha o desenrolar da movimentação político-partidária.

Segundo o entrevistado o pleito a deputado estadual será a antessala das eleições municipais, a prefeito e vereador em especial, será usado para catapultar candidaturas a prefeito ou a vereador em 2016.

“Sempre foi assim e assim será por muito tempo, com quem desejando chegar ao poder fazendo uso de manchetes cada vez sensacionalistas, ao ponto de o Guaçu parecer que está arrasado”, disse a fonte. “Em 2010 e 2011 um órgão se especializou a ver no governo Paulinho apenas a sucursal do inferno”, mencionou. “É uma forma de chamar a atenção para determinados fatos prioritários sob o ponto de vista político”, advertiu o entrevistado que, por razões óbvias, solicitou o sigilo do anonimato.

O mais recente ataque ao Samae aborda questões ligadas às prioridades de serviço, notadamente sobre estancar um vazamento de vários dias, ou consertar a rede de esgoto que generalizava o odor à população de um determinado bairro, ou ainda retomar os serviços de abastecimento da água na zona norte.

O diretor de obras, Mário Antonio Zaia, explicou que “nunca disse que não seria prioridade para o vazamento de água, mas que, naquele momento, com três grandes serviços em urgência, o atendimento à população com falta d’água e o mau cheiro de esgoto ganhavam destaque por afligir um número maior de gente”.


JG – o que aconteceu de fato?

Mário Zaia – primeiramente é importante esclarecer que não mencionei que o vazamento de água não era prioritário. Contudo, diante de outras emergências graves, o vazamento não era de fato tão premente quanto a falta de água na zona norte e o estouro da tubulação de esgoto.

JG – o Samae deu a devolutiva para a pessoa que reclamava do vazamento?

Zaia – o Samae é uma autarquia que defende o uso racional de água e esclarece que todo e qualquer vazamento deve ser sanado. Entramos em contato com a pessoa autora da denúncia e explicamos que o vazamento iria ser consertado, mas ao seu tempo. No entanto, fomos igualmente surpreendidos com a informação porque não havia reclamações sobre a questão. Mesmo assim, fomos checar a ocorrência.

JG – qual o procedimento padrão?

Zaia – é atender a população imediatamente, mas nós temos, como outra empresa qualquer, entraves como a falta de funcionários em quantidade considerável. Naquele dia, o que fizemos foi estabelecer uma hierarquia de prioridade que pudesse ser efetuada. O que mais me impressiona é que ninguém divulga o que foi realizado em favor do bem estar da população. Temos um corpo de funcionário que se desdobra e faz o melhor sempre. Atacar o Samae é atacar estas pessoas que trabalham em favor da população. 

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar