DR PAULINHO MULTADO PELO TCE POR AUSÊNCIA IRREGULAR DE LICITAÇÃO

A Primeira Câmara do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, em sessão de 29 de abril de 2014, decidiu multar o ex-prefeito Paulo Eduardo de Barros (PHS), em R$ 160 Ufesp’s, o equivalente a R$ 3.222,40. Cabe recurso à decisão.

A decisão, que contou com os votos do substituto de Conselheiro, Márcio Martins de Camargo (Relator) da Conselheira Cristiana de Castro Moraes (Presidente) e do Conselheiro Dimas Eduardo Ramalho, acontece por julgar irregulares a dispensa de licitação e o contrato celebrado diretamente com a Unimed da Baixa Mogiana.

VEJA O LINK DO ACORDÃO AQUI

A empresa prestava serviços continuados na área de assistência médica, na segmentação ambulatorial e hospitalar com obstetrícia, exames laboratoriais e demais serviços de apoio diagnóstico.

Também foram arrolados na decisão, como autoridades que firmaram os Instrumentos: o então presidente da FEG, Marcos Antonio, o presidente da Proguaçu na ocasião, Almir  Mário Mascarini; Mutsuo Gomi, que era Superintendente do SAMAE, e o médico Eli Paulo Colombo Filho, que exercia o cargo de superintendente do Hospital Municipal.

A decisão foi publicada no Diário Oficial em 27 de maio de 2014.

Vale lembrar que Marcão e Dr. Paulinho romperam politicamente em 2011, quando o empresário, que chefiava a secretaria de Educação e implantou o polêmico sistema apostilado na rede municipal de ensino, tomou novo  rumo e posteriormente foi candidato a prefeito, ficando em segundo lugar no pleito de 2012, surpreendendo a muitos.

 

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar