DIA 15: MANIFESTAÇÕES CONTRA DILMA NO GUAÇU IGNORAM CORRUPÇÃO TUCANA

As manifestações contra a presidenta Dilma Roussef (PT), apelidada de Panelaço Gourmet – em referência ao batuque de panelas em condomínios de luxo – pretende reunir milhares de pessoas no Campo da Brahma no próximo dia 15 às 15h.

Os organizadores do ato convergiram nas redes sociais mais de 3 mil pessoas e pretendem inserir Mogi Guaçu no movimento que pede o impeachment da petista em nível nacional. Mais de 200 municípios devem realizar manifestos contra a vencedora das eleições 2015. A expectativa é que mais de 100 mil pessoas estejam nas ruas no domingão em todo o país. São Paulo puxa o Fora Dilma.

A ampla maioria de participantes seria de eleitores de classe média e média alta, contrária aos programas sociais. Também devem participar golpistas em favor do regime militar e, claro, de trabalhadores descontentes com a política econômica atual, empreendedores dedicados e gente que dá de duro na vida e quer apenas um país melhor. Muita gente financiada pelo ‘bolsa papai’ estará presente idem – é fatal.

O movimento pede o extermínio da corrupção, além do fim das gestões petistas no plano nacional. No entanto, o movimento no Guaçu deverá ignorar cabalmente a corrupção avassaladora dos governos tucanos em todo o Brasil, o trensalão, a privataria, a crise da sabesp, além de desvios em Minas Gerais nos tempos de Aécio; isso sem falar do descontrole governamental no Paraná, onde os atos devem ser encorpados por funcionários públicos contra o governo Beto Richa.

A suposta corrupção em Furnas, envolvendo o ex-candidato a presidente Aécio Neves, dentre outras maracutaias tucanas, serão jogadas para debaixo do tapete. O alvo é Dilma mesmo.
Os organizadores no Guaçu – gente branca, bem vestida e perfumada – declararam para um jornal local que os atos são pacíficos e visam marcar ponto a respeito dos borogodós envolvendo a atual presidente e a corrupção generalizada em seu governo. Dizem que não são financiados por ninguém, mas devem contar com um aparato de segurança pública para que tudo corra nos conformes.

Vale lembrar que as manifestações acontecem em outras cidades da Baixa Mogiana, como Itapira, cujo ato se realiza às 9h na praça Bernardino de Campos, no coração da cidade. Mogi Mirim também engrossa o coro do Xô Dilma, no centro, e o mesmo se verifica em Pinhal.
Grupos mais consistentes organizam as manifestações em grandes capitais. Como é o caso do Vem pra Rua, concebido e elaborado por um empresário cabeça boa que não defende o impeachment – por enquanto – mas soluções de fato democráticas para o Brasil.

O Vem Pra Rua não quer nem saber de golpe de estado, mas esclarece que o impedimento legal não é contrário às regras eleitorais e está na Constituição. Vale a visita da página do grupo no Facebook e ver que o pessoal é gente de outro nível.

Um grupo com ação semelhante, que não quer nem falar em golpe de Estado, é o Movimento Brasil Livre. Vale o crédito a este pessoal. E boa manifestação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *