DENGUE: PREFEITURA DIZ QUE GAZETA ESPECULA CASOS FALSAMENTE; JORNAL QUE PREFEITURA OMITE

Bafafá sobre os números de picaduras positivas de dengue. A prefeitura fez publicar nota de esclarecimento a respeito dos números de dengue em Mogi Guaçu no seu site, quanto no facebook oficial ou em publicidade institucional na Tribuna desta terça-feira.  

Foi a forma de se posicionar sobre o que considera nota falsa da Gazeta Guaçuana a respeito da quantidade de doentes infectados pelo transmissor, o poderoso Aedes.

A nota chama a reportagem da Gazeta de falsa especulação e confirma que a Secretaria Municipal de Saúde é o órgão institucionalmente possuidor das prerrogativas e responsabilidades para a apuração e a quantificação dos casos.

Além disso ,cita que não há fonte alguma que possa apresentar números divergentes e que fazer circular versão conflitante com a verdade presta desserviço à causa, ofende a inteligência dos cidadãos e agride a integridade de profissionais qualificados e credenciados para o manejo da situação.

O jornal, por sua vez, publicou matéria no último sábado em que traz o vendedor Marcelo da Rocha Junqueira, que reside no Jardim Planalto Verde, quer que o Poder Público faça um alerta à população.

Citou que dos três filhos de Marcelo, dois estão com dengue, sendo que, em 2013, os três tiveram a doença.

Menciona ainda que, já transtornado por ver os filhos passando mal, ele tomou outras medidas. Comprou repelente e veneno para pulverizar o quintal.

 “Estão escondendo a verdade. Eu conheço oito pessoas com dengue, então, deve ter muito mais. Acredito que sejam uns 500 casos”, observa Marcelo.

O último relatório da Secretaria de Saúde confirmou 84 casos de dengue.

 

LEIA A NOTA DA PREFEITURA NA ÍNTEGRA

SECRETARIA DE SAÚDE DESFAZ VERSÃO IMPROCEDENTE SOBRE NÚMERO DE CASOS DE DENGUE

É absolutamente falsa a especulação publicada pelo jornal Gazeta Guaçuana de que os casos de dengue em Mogi Guaçu são muito superiores aos números divulgados pela Prefeitura. A insinuação fere o princípio da lógica e o preceito da responsabilidade. Não tem o menor sentido de lógica que se convoque a sociedade para engajar-se na luta de combate a dengue, tendo em vista a gravidade da situação, e ao mesmo tempo a administração informe à população falsos números sobre os casos da doença.

O preceito da responsabilidade é gravemente atingindo quando a versão não se apóia em evidência por mais miserável que possa ser ou em fato minimamente concreto que possa embasá-la. Os números levados a público pela Secretaria Municipal de Saúde são resultantes de laudos expedidos pelo Instituto Adolfo Lutz, Hospital Municipal “Dr. Tabajara Ramos” e serviços privados da cidade.

Não há fonte alguma que possa apresentar números divergentes – para mais ou menos – em relação aos que são informados pela Prefeitura, nos quais possa se encontrar crédito. A Secretaria Municipal de Saúde é o órgão institucionalmente possuidor das prerrogativas e responsabilidades para a apuração e a quantificação dos casos, através do Programa de Epidemiologia e Controle de Doenças, mediante notificações das unidades municipais de saúde e de serviços privados de saúde.

Fazer circular versão conflitante com a verdade presta desserviço à causa, ofende a inteligência dos cidadãos e agride a integridade de profissionais qualificados e credenciados para o manejo da situação.

A Secretaria Municipal de Saúde está agindo com lisura e responsabilidade na abordagem do momento enfrentado pela cidade quanto à proliferação do Aedes aegypti e quanto ao avanço dos casos de dengue. Aproveita para insistir na necessidade da colaboração da população, adotando cuidados para conter a disseminação do transmissor da doença.

Este é um momento de esforço conjunto. Não haverá sucesso nesta guerra se não houver unificação de esforços dos guaçuanos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *