DENGUE IMPÕE FAXINA GERAL NO GUAÇU

A crise da dengue impôs uma faxina geral em Mogi Guaçu. Lixo, entulho, galhos de árvores e porcariadas diversas estão por todos os cantos. Tomam inclusive áreas públicas, praças e as calçadas.

Bairros inteiros estão com aspecto mais do que feio, sofrível, e forçam a DLP (Divisão de Limpeza Pública) a se desdobrar para dar conta da falta de cidadania da população – em parte estimulada pela ausência de ecopontos para o descarte dos resíduos e dos materiais. Daí, fica território de ninguém, se transformando em lixão.

A responsável pela DLP, Diva Soares de Lima, informou que  calendário de Coleta de Entulho está sendo cumprido em dia, com exceção de dois dias de atraso em dois dos três setores da programação, em parte devido às chuvas.

“Mas o maior problema é que não se pode mais recolher galhos com outros materiais descartados juntos, como sofás e móveis velhos, madeira e pneus, que, por norma, agora têm de ser recolhidos separadamente porque devem ser depositados em locais diferentes”, explica a gerente pelo órgão da SSM (Secretaria de Serviços Municipais). É por isso que os sofás antigos infestam as ruas dos bairros de todas as regiões, e ficam lá por dias, dias, dias e dias.

Ainda de acordo com Diva, a SSM tem recolhido grandes quantidades de sujeira e descartes de todo tipo em áreas em que parte da população insiste em usar como bolsões de lixo ou, popularmente,  os famosos lixões.

No último sábado, dia 14, por exemplo, foram recolhidas 60 toneladas de lixo no Jardim Itamaracá, na zona Sul. Na segunda-feira, 80 toneladas no Jardim Boa Vista, zona Leste.

E hoje, quarta-feira, foram retiradas cerca de 20 caçambas (20 “viagens”) de entulho em uma área do Distrito Industrial Mogi Guaçu. Só de pneus, entre 100 a 150, foi retirado um caminhão de carroceria aberta.

Nas duas áreas do distrito industrial Mogi Guaçu, saída para Martinho Prado, foram recolhidos mais de 100 pneus inservíveis, 18 caminhões, caçambas e mais duas carrocerias com sofás colchões e madeiras.

Três imóveis fechados foram vistoriados na quarta-feira, quando foi constatada a existência de grande quantidade de sujeira de toda espécie em seu interior, em especial criadouros do mosquito transmissor da dengue.

 

 

OPINIÃO DO JG

A Divisão de Limpeza Pública está fazendo a parte dela. Nem tudo o serviço público pode dar conta de uma só vez. Cabe ao cidadão também não ser porco e contribuir para uma cidade melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *