CANDIDATO: VAMOS FALAR DO QUE INTERESSA?

As eleições estão poucos dias de acontecerem e ainda corre pelos quatro cantos de Mogi Guaçu que tipo de propostas os candidatos vão apresentar.

Parece até mesmo aquele velho dilema de grêmio estudantil, onde as chapas corriam a oferecer a melhor proposta para a patota, de preferência a carteirinha que dava desconto de meia entrada nos eventos.

Mas as eleições são um buraco mais embaixo.

Até o momento, é pífio o debate de grandes temas como transporte público por exemplo.

Transporte público é público, e não esta estrovenga que permite que os serviços sejam executados por uma empresa privada.

Quem dos candidatos entrou num busão nos últimos dois anos e passou a tarde suando dentro de um veículo duro como osso de açougueiro? Quais dos candidatos pensaram em mudar o sistema de transporte público do Guaçu para além dos seus interesses?

Ou ousar discutir planejamento familiar? Debater sobre direitos dos animais idem?

Meio ambiente é coisa que passa longe da maioria dos postulantes aos cargos eletivos. A maioria não debate este tema não é porque não quer: é porque é ignorante mesmo e não entende do assunto.

E o planejamento familiar, candidato, vai bem? Algum de todos sabe se os casais têm acesso aos programas de planejamento digno na cidade, no estado e país?

E o aborto, o racismo, a falta de emprego e a condição das mulheres?

Até a pauta conservadora que menciona a família, como está?

Família só seria tema de moral cristã…papai e mamãe e filhinhos? Mesmo assim, o que as famílias podem encontrar além da Bíblia manietada ao conformismo evangélico-eleitoral? Fale candidato, queremos ouvir e sabemos que sois capazes!

Famílias pobres têm onde se resguardar nos programas de assistência de governo?…e a família de homossexuais, de gays e lésbicas..serão novamente preteridas em favor apenas dos fenótipos físicos. 

Família então seriam pênis e vagina tão só para comprovar que Deus criou macho e fêmea, como espalham certos engravatados ensandecidos dos púlpitos.

E as nossas crianças, nossos velhos, os jovens, moças e rapazes, que quinhão possuem nos discursos dos nossos candidatos?

A representatividade popular, a participação do povão nas instâncias de poder, como é que fica…estamos todos contentes?

Acreditamos que não.

Por tudo isso e muito mais, vamos falar de propostas, do que interessa mesmo, candidato?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *