BIZARRO: ADVOGADO TEM QUE DEFENDER IGREJA CONTRA CAISTAS DE EXORCISMOS

O advogado trabalhista Gabriel Rosolino está diante de uma causa insólita. Ele defende uma igreja evangélica de uma ação pra lá de inusitada impetrada por três ex-membros.

Os ‘funcionários’ entraram no pau para garantir supostos direitos trabalhistas. A alegação é de que eles foram contratados para serem caistas – pessoas que caem quando o pastor tira o demônio do corpo em sessões de exorcismo.

Segundo o advogado, os caistas (três no total) alegaram vínculo trabalhistas, mas “a alegação não tem fundamento”, garante o dr. Gabriel. “

Para ele, a atividade não existe porque não é regulamentada, não tem piso salarial ou quaisquer referências trabalhistas que contextualizem a profissão.

Por isso mesmo, Rosolino inferiu que os caistas na verdade são oportunistas, ou seja, buscam usar a Justiça apenas para proveito próprio. “É o caso típico de litigância de má fé e isto pode render até multa”, observou o experiente advogado.

Casos bizarros como este são comuns em alguns cultos onde ocorrem até exorcismos coletivos.

Nestas situações, pessoas são contratadas para ficarem na frente da plateia, na primeira fila, e, em determinado momento, provocam o efeito dominó ao derrubar todo mundo que está atrás. Um verdadeiro saravá com aleluia no meio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *