BANCARIA MORRE NO COTOVELO DO DIABO

Katuscha Schmidt de Camargo, 34 anos, bancária itapirense, morreu no final da noite de anteontem (18), após colidir seu Honda Civic contra uma carreta Volvo FH, placas de São Simão – SP, na estrada vicinal Itapira-Mogi Guaçu.  A colisão ocorreu no quilômetro 4 da rodovia (SP-177) em uma curva conhecida como o ‘Cotovelo do Diabo’. Katuscha invadiu a pista contrária e foi colhida violentamente, de frente, pelo bruto, pilotado por Ronaldo da Silva, de 44 anos. Os estragos foram enormes e o Honda Civic apresentou perda total.

Silva é motorista da empresa Victrans, também de São Simão, e a trombada ocorreu por volta das 23h30, segundo informou o Boletim de Ocorrência (BO).

A ocorrência foi atendida pelos policiais militares Reis e Juan, que acionaram o SAMU, já que Katuscha fora encontrada com vida, mas presa às ferragens. Segundo apurou a reportagem, o médico socorrista tentou reanimar a bancária por cerca de 40 minutos, mas ela veio a falecer, apesar dos procedimentos
.
A perita Natália, do Instituto de Criminalísticas (IC), compareceu ao local do acidente, juntamente com o fotógrafo Emerson, para averiguarem as reais causas do acidente.

O corpo de Katuscha foi encaminhado ao Instituto Médico legal (IML) de Mogi Guaçu, mas liberado às 10h para a família e posterior velório. O sepultamento ocorreu no Cemitério
Municipal da Saudade, por volta de 17h desta última sexta-feira.

A morte da bancária deixou os familiares e os amigos bastante consternados, já que ela era muito querida entre eles. A bancária vivia um momento mágico em sua carreira no banco Itaú. Recentemente, havia sido brindada por uma promoção profissional, passando a responder pela sua área de atuação nas agências de Mogi Guaçu também.

Ela era casada e deixou dois filhos, um deles com 17 anos e outro com 7 anos.

(matéria originalmente publicada na Gazeta Itapirense, de Itapira)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *