ATO CONTRA GOVERNO TEMER PARALISA TRANSPORTE NO GUAÇU

O transporte público em Mogi Guaçu ficou paralisado por aproximadamente duas horas na manhã desta sexta-feira, 25. É porque motoristas e cobradores protestaram contra as medidas impopulares do governo Temer, no Dia Nacional de Lutas contra as medidas que visam surrupiar os direitos dos trabalhadores.

No Guaçu, o ato foi coordenado por sindicalistas da Central Força Sindical de Campinas, segundo fontes, além dos integrantes do Sindicato dos Condutores de Mogi Guaçu.

Vale lembrar que a Força Sindical tem como um dos líderes o deputado Paulo Pereira da Silva, um dos principais articuladores da derrubada da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), e apoiador de primeira linha de Michel Temer, justamente o cara cujo governo quer avança sobre as conquistas sociais e dos trabalhadores.

Das 11h às 13h, aproximadamente, os busões ficaram parados dentro do terminal do Parque dos Ingás e ruas adjacentes. Ninguém entrava e ninguém saía.

A paralisação, é óbvio, gerou chiadeira entre os usuários do sistema.

Maria Dolores de Souza Gama, 48 anos, informou que precisava chegar ao Chaparral e resolveu ir à pé. “Acho engraçado eles protestarem por direitos e nos prejudicar desta forma. Se estão com a razão eu não sei, mas para mim é um desaforo”, afirmou a balconista.

Já o aposentado Dorival Santos Brini, 68 anos, aguardava com paciência de Jó o retorno à normalidade do transporte público. Mais compreensivo com a causa, defendeu o ato e advertiu que “se nada fizerem, o governo que aí está vai acabar com o povo pobre e trabalhador. E pensar que muitos reclamavam da Dilma e do Lula?”, questionou pensativo.

Durante o ato, os organizadores realizaram os tradicionais discursos e defenderam uma pauta contrária a reforma trabalhista que retira direitos; menos juros e mais empregos, e ainda em defesa da saúde e da educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *