ALERTA: GOLPISTAS ESTÃO AGINDO DENTRO DO HOSPITAL MUNICIPAL

A direção do Hospital Municipal “Dr. Tabajara Ramos” comunica a toda a população de Mogi Guaçu, e especialmente aos familiares de pacientes que aqui se encontram internados, que o atendimento que a instituição presta aos munícipes é inteiramente gratuito por ser um hospital público.

O esclarecimento se faz necessário porque alguns familiares de pacientes estão recebendo telefonemas de estranhos, que pedem depósito em dinheiro para supostamente pagar procedimentos não cobertos pelo SUS ou que poderiam demorar.

A Superintendência do HMTR já encaminhou denúncia à Polícia Civil e orienta familiares de pacientes que registrem a queixa em Boletim de Ocorrência ao receber tais ligações. Em hipótese alguma, efetuem depósito de dinheiro em conta corrente, pois se trata de crime de extorsão.

O Hospital Municipal “Dr. Tabajara Ramos” não é a única instituição hospitalar a ser alvo de prováveis quadrilhas. Pesquisa na internet, por meio de motores de busca como o Google, resulta em dezenas de relatos de casos semelhantes em diversas cidades, como Indaiatuba.

Outra semelhança é que as ligações parecem proceder dos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Em dos quatro relatos de familiares de pacientes do HMTR, os golpistas teriam indicado uma conta bancária de Rondonópolis, estado de Mato Grosso, para depósito. O depósito não foi efetuado.

 

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

2 Comentários

  • Responder fevereiro 5, 2016

    marcelo sanches

    nossa como o hospital se preocupa com o munícipe né…mas agora vem a pergunta como eles sabem que a pessoa se encontra internada naquele momento? tenho certeza que os mesmo estão tendo acesso a alguma fonte de cadastro interna do hospital e que esta sendo atualizada por alguém. só existe 3 formas de obterem essas informações 1°informação privilegiada de funcionário,2° acesso sem restrição ao sistema com login e senha ou vírus na rede do hospital.quanta vulnerabilidade hein,sera que estão seguros.

  • Responder fevereiro 4, 2016

    cleofas Viana

    Se faz necessário que a polícia abra investigação para saber quem passa informação de pacientes internados e seus familiares, pois não dá nem por osmose descobrir tais dados lá do Mato Grosso né? Nesse angu tem caroço.

Deixe um comentário