AGRICULTURA FAZ GUAÇU GOLEAR REGIÃO NO SALDO DE EMPREGOS EM 2017

A agricultura foi a redenção de Mogi Guaçu nestes tempos de crise aguda, em especial desde o golpe parlamentar-jurídico e midiático que se instalou com o Michel Temer na presidência da República.

O setor fez o nosso município liderar o ranking de novos postos de trabalho, e com isto goleou os demais municípios da região de Campinas.

Os números do emprego em 2017 foram fornecidos pelo Caged, o cadastro de geração de empregados e desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego, o MTE.

De acordo com Caged, no caso da citricultura, Mogi Guaçu foi como a Alemanha na Copa de 2014: além de golear, foi a primeira cidade em número de vagas criadas em todo o Estado de São Paulo neste setor em específico.

O Caged aindainforma que 4.096 vagas foram abertas na citricultura guaçuana, com saldo de 2.701 postos de trabalho com registro em carteira.

Mogi Guaçu faz parte da região sul do “cinturão agrícola”, denominação dada aos municípios da região Leste do Estado e do Triângulo Mineiro, todos com tradição na produção de citrus. Segundo a Fundecitrus (Fundo de Defesa da Citricultura), a região sul será responsável pela colheita de aproximadamente 71 milhões de caixas.

Isso representa aproximadamente 18% das 385 milhões de caixas que o Fundo estima que devam ser produzidas até o final da safra 2017/2018. Cada caixa carrega quase 41 kg de laranjas.

Graças ao bom desempenho na citricultura, Mogi Guaçu foi a cidade da região de Campinas que mais gerou emprego com carteira assinada no ano passado. O saldo foi de 951 vagas. Paulínia, por exemplo, fechou 2017 com saldo de 1.287 postos fechados.

No total dos 31 municípios da região de Campinas, foram criados 5.397 empregos com carteira assinada entre janeiro e dezembro de 2017, e 5.252 postos foram fechados, com saldo positivo de 145.

Na agricultura, Mogi Guaçu registrou a abertura de 4.992 postos de trabalho em 2017, com 3.702 desligamentos, saldo de 1.260 empregos em carteira.

Mesmo com números tão favoráveis na geração de empregos na agricultura, a Prefeitura reconhece que tem enfrentado problemas para oferecer manutenção adequada nas estradas rurais. A Administração Municipal sofre com a falta de maquinário e tenta, mesmo com todas as limitações, melhorar as rotas usadas para o escoamento da produção agrícola do município.

 

Localidade 2017
MOGI GUAÇU 951
Valinhos 830
Jaguariúna 565
Holambra 536
Santo Antônio de Posse 495
Amparo 451
Itapira 416
Monte Mor 241
Socorro 203
Mogi Mirim 173
Sumaré 142
Pedreira 136
Pinhalzinho 96
Monte Alegre do Sul 89
Tuiuti 47
Pedra Bela 11
Artur Nogueira 8
Serra Negra 7
Santo Antônio do Jardim 0
Vinhedo -1
Lindóia -52
Espírito Santo do Pinhal -111
Águas de Lindóia -138
Louveira -165
Estiva Gerbi -247
Indaiatuba -472
Hortolândia -533
Americana -663
Morungaba -746
Campinas -837
Paulínia -1.287
Fonte: Caged/MTE

 

SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar