ADUTORA: “VÃO POR A MÃO NA MASSA E ACABAR COM OS PROBLEMAS”

Foi assim que a dona de casa Joana Lemes, do Jardim Almira, definiu o início dos trabalhas para por fim  nos rompimentos da adutora de água tratada da Zona Note, levados a efeito pelo Samae (Serviço Autônomo Municipal de Águas e Esgotos) de Mogi Guaçu.

A adutora abastece bairros importantes, em especial os da Zona Norte (toda a região dos Ypês), com uma população estimada em mais de 30 mil pessoas.

O diretor de Obras da autarquia, Mario Antonio Zaia, confirmou que o superintendente do Samae, Elias Fernandes Carvalho, ressalta que este é o compromisso da empresa pública municipal.

“A adutora corta em diagonal o terreno onde hoje existe o Hipermercado Walmart (antigo BIG); agora, foi feito um contorno em U na tubulação e a rede desviada para uma rua que fica ao lado hipermercado, antes de seguir pela Avenida dos Trabalhadores”, adiantou Zaia acerca das explicações técnicas.

A rede foi realizada há mais de 10 anos e, ao invés de ferro fundido, utilizou mais de 400 metros de cano de PVC. “O fato é que esse material ressecou com o passar do tempo e acaba rompendo com facilidade diante da pressão da água que circula pela adutora”, ressaltou Elias.

O diretor de obras do Samae informou que nas administrações anteriores nem mesmo paliativos foram efetuados, como a construção de “caixas de alívio” ou da adoção de mecanismo para a ligação mais suave das bombas e com isto evitar pressão exagerada na rede da adutora.

“Estudamos a planta da rede no ponto em ocorre esses rompimentos e já estamos realizando a cotação de material (tubos de ferro fundido) para que o problema seja resolvido de uma forma definitiva”, frisou Zaia.

“Tomara a Deus que tudo se resolva o mais rápido possível”, revelou Maria Alvarenga, moradora do Ypê 1. “Ao menos o Samae está botando a mão na massa para dar um basta na falta de água quando o equipamento quebra”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *