2017: SAMAE BATE RECORDE DE INVESTIMENTOS EM SANEAMENTO

O Samae, a autarquia de água e esgoto da Prefeitura, terminará 2017 como uma das empresas do setor que mais investiram em saneamento básico na macrorregião de Campinas.

Contudo, o montante supera em volume todas as outras companhias ou autarquias de saneamento da Baixa Mogiana.

O superintendente da empresa, Elias Fernandes de Carvalho, comentou que a grana investida somente fora colocada em prática a partir de três princípios que norteiam a empresa desde 2013: gestão dos recursos, racionalização dos montantes aplicados em obras corretas e, principalmente, envolvimento dos funcionários.

“O volume de investimentos ultrapassou a casa dos R$ 25 milhões em vários setores, desde esgoto a melhoria da oferta de água, com obras nas estações de tratamento, captação de água bruta e qualidade da malha de tubulações”, afirma.
Elias destaca que a gestão, com amplo envolvimento dos ‘funcionários da casa’, favoreceu a consecução de um amplo diagnóstico das necessidades do município na área do saneamento. Neste conjunto também estão as obras de substituição de estações elevatórias.

A última elevatória recentemente desativada, na região do Parque dos Ingás, acabou substituída por dispositivos mais modernos, mais eficientes e com menor consumo de energia. Foram desativadas outras duas elevatórias em 2017 e, boa notícia, mais duas serão implementadas a partir de 2018 – sendo a próxima na região da Vila São João.

Carvalho comentou que as obras em modernização de estações de tratamento esgotos, os chamados efluentes, continuaram em 2017, mas que serão incrementadas no ano que vem, contemplando regiões importantes como a dos Ypês nos próximos anos.

Outro feito na gestão do prefeito Walter Caveanha, através do Samae, foi o literalmente acabar com o vergonhoso despejo de esgoto no Rio Mogi Guaçu, o que permitiu alavancar posições do Guaçu na certificação de Município Verde-Azul.

“Além de tudo isso, ratificamos o nosso princípio como fornecedor de água de qualidade com o menor preço por metro cúbico de toda região. Atualmente, o consumo de 10 metros cúbicos residencial aqui no Guaçu custa R$ 21,47 ante R$ 34,23 de Mogi Mirim; R$ 40,33 de Pinhal e R$ 30,12 de Itapira”, citou Elias.

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar