TERAPIA DE CASAIS: O CASAMENTO VAI O DIVÃ

A terapia de casais ganha espaço em Mogi Guaçu. Os adeptos do método que põe o marido e a mulher no divã, ou pessoas do mesmo sexo que vivem maritalmente, é cada vez maior e rompe o preconceito que influi no desgastado jargão que não se deve meter a colher nestes assuntos.

“As maiores dificuldades partem dos mais velhos, mas de maneira geral as pessoas estão entendendo a necessidade de buscar ajuda quando há problemas conjugais”, comentou o psicólogo Marcelo Peres, pós-graduado em aconselhamento de família e casais, e  há dez anos atuando nesta área específica da psicoterapia.

Peres comenta que o casal deve estar atento a sinais que podem levar a crises conjugais e buscar ajuda antes que o problema se agrave como discussões por causa de ciúme excessivo, perda de interesse sexual, rotina e tédio no relacionamento, pontos de vistas diferentes que geralmente estão levando a discussões desnecessárias, mudança de humor de um dos cônjuges, dentre outros pontos.

“O relacionamento conjugal requer um bom jogo de cintura na administração das habilidades sociais para a manutenção de uma vida compartilhada”.

O psicoterapeuta adianta que a terapia depende de fatores como a personalidade, a estrutura psicoemocional, e outros pontos culturais, sociais e sexuais. Peres destaca que problemas relacionados à sexualidade do casal, casos de dependência e co-dependência de álcool e outras drogas por um membro da família, educação de filhos, administração de finanças, transtornos psiquiátricos, casos de divórcio, podem levar a dificuldades a dois.

Quem namora também pode fazer a terapia. “Geralmente um casal de namorados quando está em crise, depois de muitas brigas e discussões culmina no término do relacionamento e dificilmente procuram terapia”, ressalta. “Mas se um casal se ama e apesar das crises e dificuldades desejarem continuar juntos para o matrimônio é sim positivo indicar uma psicoterapia para ajudá-los a melhorar a convivência e viverem bem conjugalmente”, declara.

Estas recomendações são válidas para os casais de mesmo gênero, que buscam a terapia pelas mesmas razões que os casais heterossexuais e os mesmos princípios e técnicas psicoterápicas são aplicados.

A terapia de casais é estruturada por sessões semanais de psicoterapia, podendo ser exclusivamente com a presença do casal em todas as sessões ou pode ocorrer uma alternância entre o casal junto e sessões individuais intercaladas.

O tempo de duração de uma terapia depende muito da queixa inicial trazida pelo casal e da avaliação feita pelo psicólogo para determinar a estruturação do plano de tratamento e as possíveis intervenções para o casal.

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar