SAMAE INVESTE MAIS DE R$ 13 MILHÕES EM MELHORIAS DO SANEAMENTO

Por meio do Samae, o governo do prefeito Walter Caveanha (PTB) investiu mais de R$ 13 milhões em melhorias no saneamento básico de água e esgoto de Mogi Guaçu. O montante é um dos maiores em termos proporcionais dentre todas as administrações municipais guaçuanas, e remonta aos tempos áureos dos anos 60-70.

Elias Fernandes de Carvalho, superintendente do Samae, confirma que os valores correspondem  a obras importantes, tais como a adutora de água bruta que interliga a Cachoeira de Cima, na altura da Pequena Central Hidrelétrica (PCH), à captação de água, esta no Limoeiro.

A obra, segundo Elias, evita com que o Guaçu fique refém do abastecimento em tempos bicudos de estiagem severa, como a que ocorreu dois anos atrás.

“Naquela época”, explica Elias, “o nível atingiu níveis críticos que poderiam ter-nos levado à adoção de medidas mais drásticas, que, graças a Deus, não foram necessárias”, afirmou o superintendente.

“Já com a adutora, que está em plena operação, a vazão para o fornecimento de água aumentou consideravelmente e, desta forma, não é exagero que, pelos próximos 50 anos, Mogi Guaçu não terá com que se preocupar com problemas de falta de água. Isto nos dá o conforto de planejar medidas e ações para o futuro”, comemora Elias.

Outros investimentos foram realizados para melhorar ainda mais os serviços de esgotamento sanitário. Faz com que Mogi Guaçu se torne uma das poucas cidades do interior do país a ter 100% do esgoto coletado e ainda quase os mesmos percentuais no tratamento dos efluentes.

Elias destaca também investimentos na capacitação dos serviços na ETE Brasil, que poderá até mesmo vender o lodo proveniente das lagoas de tratamento como adubo, devidamente estabilizado, obviamente.

Outros aportes vão em direção à ampliação da ETE da Zona Norte, nos Ypês, que terá em breve a mesma qualidade por tratar os esgoto como o realizado o realizado na ETE Brasil.

“Além disso, os investimentos consumados também em emissários eliminaram de uma vez por todas o despejo de esgoto no Rio Mogi Guaçu, uma grande conquista perseguida por várias administrações, mas colocada em prática no governo Walter. Um sonho que se realizou com trabalho sério e a aplicação correta do dinheiro público”, ponderou Elias.

Bira Mariano

Formado em Jornalismo pela Unaerp - Universidade de Ribeirão Preto, com módulos de pós-graduação em Jornalismo On Line pela Fundação Cásper Líbero. Trabalha na área desde 1995 e possui alguns sites, dentre eles o Jornalístico e o Animal e Companhia.

Seja o primeiro a comentar